Palavra do Mito: Ceni promete ‘grande Libertadores’ para retribuir carinho

Rogério Ceni só terá o próximo contato com a imprensa no domingo, em entrevista coletiva após o duelo com o Figueirense no Morumbi, marcado para as 17h. Nesta sexta-feira, porém, o goleiro-artilheiro conversou com a SãoPauloFC TV, canal do Tricolor no YouTube, e explicou as razões do adiamento da aposentadoria para 5 de agosto de 2015.

O Mito não escondeu a alegria pela renovação e atribuiu a decisão ao apoio de Muricy Ramalho e da torcida, ao esforço da diretoria e ao bom ambiente que encontrou no clube neste ano. Para retribuir todos esses fatores, o camisa 01 já sabe o que fazer: conquistar o título da Copa Libertadores da América do próximo ano.

Ceni ainda contou detalhes de como chegou a um acordo com o presidente Carlos Miguel Aidar e assegurou que a única alteração em seu contrato será na duração. Por fim, lamentou a saída de Kaká do São Paulo. Neste domingo, o meia fará sua última partida pelo Tricolor no Morumbi antes de se apresentar no Orlando City (EUA).

CONFIRA AS DECLARAÇÕES DE CENI SOBRE A RENOVAÇÃO:

O processo
“Sentamos para conversar dez minutos antes do presidente se dirigir à sala de imprensa para comunicar à imprensa. Ele falou que passaria aqui  no CT e gostaria de conversar. Aí manifestou o desejo que eu continuasse. Em três minutos achamos que seria ideal renovar até o fim da Libertadores com a esperança de conquistá-la. Ele achou importante minha experiência dentro da competição. Principalmente pela perda do Kaká, que pudesse ter alguém que viveu essa experiência várias vezes. É o prazer maior da minha vida jogar aqui”.

O sentimento
“Estou muito contente e espero poder no ano que vem retribuir com uma grande Libertadores. Que a gente consiga esse título tão sonhado. Uma pena a Sul-Americana deste ano ter ficado para trás, mas a gente vem mais forte ainda pelo conjunto e tudo o que foi feito neste ano. A tendência é que, com uma peça ou outra, a gente esteja mais fortalecido e possa brigar de igual para igual com os grandes clubes que vamos enfrentar. Foi o coração e a parte emocional de querer estar aqui e terminar cada vez melhor. Foi ser são-paulino, me sentir bem, a amizade, o carinho de todos que tenho no lugar que frequento há quase 25 anos”.

Os responsáveis
“O Muricy (Ramalho) certamente foi peça fundamental. Ele sempre apoiou bastante, é um cara que tenho convivência há mais de 20 anos. Sabe do profissional que sou. Falou para mim que pela forma que perdemos não foi merecido. Valeu aplauso e carinho do torcedor. Ele disse: ‘Era para estarmos na final. Quem sabe perdemos essa para ganhar a Libertadores. Gostaria muito que você ficasse, porque seria importante ano que vem’. Pesou muito para continuar. O doutor Ataíde (Gil Guerreiro, vice-presidente de futebol) também. Já tinha conversado comigo semana passada, mas eu estava querendo viver a Sul-Americana e deixei para conversar agora. Em dez minutos acertamos tudo. Não teve nenhuma mudança, só uma prorrogação de contrato até 5 de agosto do ano que vem”.

O ambiente
“As pessoas que aqui estão trouxeram uma nova vida. O Kaká, lamento muito a não continuação da estada dele aqui. Acrescentou muito, será uma peça importante que vamos perder. Que o grupo possa sustentar essa perda futebolística e como pessoa, o que ele agregou como homem nesses dias que esteve com a gente. Vamos compensar isso com contratações, manutenção do grupo e do bom ambiente”.

O futuro
“Como são-paulino, torcedor e atleta, que a gente possa ser cada vez mais competitivo, ganhar cada vez mais corpo, manter a base que foi bem e tentar acrescentar nos lugares necessários para jogar duas competições no mesmo nível de atuação”.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*