Oscar lida com constrangimento de volta a CT são-paulino

O estágio da seleção brasileira nesta semana no CT das categorias de base do São Paulo, na concentração para amistoso com a África do Sul na cidade, provoca uma situação de constrangimento em torno do meia Oscar. Poucos meses após o desfecho de uma polêmica batalha judicial com o clube paulista, o atual jogador do Chelsea é por alguns dias obrigado a frequentar o ambiente em que se formou como atleta e a rever de alguma forma a questão.

Oscar forçou o desligamento do São Paulo para defender o Internacional em 2009, em saída que não teve exatamente as portas da frente como vias de acesso. O jogador e seu estafe trocaram acusações com a direção tricolor durante mais de dois anos antes do acerto do pagamento indenizatório somente no primeiro semestre de 2012.

A seleção treinou na terça-feira no CT de Cotia, local destinado pelo São Paulo à formação de jovens jogadores, um ambiente que Oscar conheceu muito bem durante as categorias de base. Dentro de campo, durante a prática técnica de “dois toques”, o meia mostrou desenvoltura e fez belos gols. Mas nos corredores da concentração, apesar da reclusão do elenco, o jogador deverá enfrentar instantes de mal-estar em encontros com membros da cartolagem tricolor.

Nesta quarta-feira a expectativa é de que Oscar componha o trio destacado para a entrevista coletiva do dia, ao lado de Neymar e Leandro Damião, em ocasião em que o meia do Chelsea provavelmente será confrontado sobre a experiência de voltar ao CT tricolor pouco tempo após o imbróglio judicial. Por esta razão, funcionários do São Paulo admitem curiosidade para ver como o ex-jogador do clube vai se manifestar a respeito do caso.

Nos últimos dois dias, Oscar e o grupo da seleção têm convivido de longe com os garotos da base do São Paulo, que dividem com os visitantes da CBF a capacidade de 140 pessoas (70 quartos duplos) nos dormitórios da estrutura de Cotia. Os jogadores fazem a maior parte dos deslocamentos internos pelo local com a ajuda de vans. No entanto, na terça o meia foi o primeiro jogador a aparecer em campo para treinar, caminhando por vias que conhece desde adolescente.

Descrito como educado e retraído por funcionários antigos da instalação de treinamento, Oscar teve reencontro amistoso com antigos conhecidos de Cotia.

COMO FOI O ROMPIMENTO  

Oscar oficialmente se desligou do São Paulo no primeiro semestre deste ano, após uma longa batalha na Justiça sobre seus direitos federativos, que paralisou momentaneamente a carreira do meia. No desfecho, o jogador e o Internacional  acabaram pagando R$ 15 milhões ao clube paulista para cobrir multa rescisória e danos.

Antes, no final de 2009, o jovem jogador havia procurado a liberação do São Paulo através da Justiça do Trabalho, alegando atraso de pagamento e ter sido coagido a emancipar-se para assinar contrato na adolescência. Na oportunidade acabou acertando com o clube de Porto Alegre.

Todo o andamento do caso foi pontuado por reviravoltas de liminares e declarações ásperas das partes envolvidas, com São Paulo, Inter e estafe do meio-campo.

Recentemente negociado pelo Inter ao Chelsea por 25 milhões de euros (R$ 79,2 milhões), Oscar acabou rendendo a fatia de 2,9 milhões ao São Paulo, na condição de clube formador no contexto da transferência (3,75% da cifra total).

Provavelmente com Oscar como titular, a seleção entra em campo na sexta-feira, às 15h45, para enfrentar a África do Sul no Morumbi. Na segunda o time de Mano Menezes encara a China, às 22h, em Recife.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*