Oscar fala da saudade do pai que e resume saída do São Paulo

Camisa 10 da seleção brasileira até a saída de Mano Menezes, Oscar segue sendo “cornetado” pela torcida do São Paulo por conta de sua saída turbulenta do clube. Em entrevista ao programa “Esporte Espetacular”, ele falou sobre a falta que sente do pai, morto quando ele tinha três anos, e tentou explicar o episódio mais polêmico de sua curta carreira.

“Foi um problema entre eu e o São Paulo. A gente não chegou em um acordo e tive de sair, teve de acontecer isso. Eu queria jogar [pelo São Paulo], mas teve de acontecer. O Inter abriu as portas para mim no Brasil”, disse Oscar, retraído ao falar sobre o assunto mesmo quando o repórter insistiu.

“Teve vários problemas. Problemas de salário, problema de emancipação, dois contratos, um contrato feito em cima do outro. Foram vários problemas”, resumiu o jogador, sem entrar em detalhes.

Oscar foi revelado nas categorias de base do São Paulo, mas no início de 2010 pediu a rescisão unilateral do contrato na Justiça, alegando descumprimento de algumas cláusulas e tentativa de coação por parte do clube paulista. Os cartolas tricolores reagiram e foram à Justiça brigar para ter o atleta de volta. A disputa só acabou quando Inter e São Paulo, no primeiro semestre deste ano, entraram em um acordo financeiro pelo jogador.

“O nosso entendimento é que ele sofria muitas influências externas, de empresário, namorada, para que ele tivesse um reconhecimento maior, de ser titular. E aí começou a ter uma série de questionamentos que acabaram gerando toda a confusão do ponto de vista jurídica”, relatou Adalberto Baptista, diretor de futebol do São Paulo.

Segundo Sueli, a mãe do meia, atuar pelo São Paulo era um sonho do pai dele, que também chamava Oscar. O hoje meia do Chelsea perdeu o pai em um acidente de carro quando tinha três anos, e até hoje fala emocionado da dificuldade com a qual conviveu ao longo dos anos.

“É difícil ser jogador e não ter um pai. No começo você depende do seu pai e da sua mãe. O que mais marcou foi não tê-lo na chegada ao profissional. Você sente falta do pai quando todos os pais estão lá no futebol, na escola. Você queria que ele visse você crescendo como homem”, disse Oscar.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*