Opinião de são-paulino: Londrina 1 x 2 São Paulo

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, aqui o espaço é seu. Use-o para comentar, elogiar, criticar, cornetar, enfim, diga o que achou da vitória do São Paulo sobre o Londrina por 2 a 1, em jogo amistoso nesta noite, no Paraná.

20 comentários em “Opinião de são-paulino: Londrina 1 x 2 São Paulo

  1. Meus companheiros (permitam-me trata-los assim) de comentários aqui deste blog, mostram que realmente entendem de futebol:
    excelentes observações sobre nosso “infeliz” time.
    Infeliz por possuir um técnico incapaz de armar um time com tantos jogadores em mãos; infeliz por ter um centroavante incapaz de pensar além de seu umbigo.
    O Luiz Fabiano é um caso perdido para ele mesmo. Se fosse medianamente inteligente em vez de aumentar a polêmica sobre sua saída e sua importância como jogador (que não está jogando nada faz tempo), deveria reconhecer seus erros seguidos, enfiar o “rabo entre as pernas” e mostrar que, embora veterano para o futebol, ao menos como homem, ainda é capaz de aprender, de reconhecer seus muitos erros, pedir desculpas a torcedores e dirigentes que fizeram grande esforço para repatria-lo e, ao invéz de fazer beicinho magoado, mostrasse seu valor para o time dentro de campo. Essa seria, a meu ver, a melhor atitude de um homem de valor. . .

    • Paulo, efetivamente o técnico está cada vez mais perdido e isso é muito ruim se imaginarmos que com sucessivas derrotas ou más atuações poderá ser substituído no meio do campeonato, voltaremos à ciranda de técnicos sem o menor planejamento, bom isso pelo que sinto estamos carecendo a muito tempo.
      Uma das provas desta falta de planejamento é a presença do LF pelos valores que foi trazido, a meu ver foi um tiro no pé, uma vez que por uma ação de marketing super valorizou-se o atleta e ficamos com o mico na mão.
      Sou suspeito, por não gostar do LF como jogador desde sua primeira passagem não o vejo como alternativa mas como problema, agora há que se suportar toda a confusão armada por ele e pelo presidente e o pior de tudo em termos do clube é o valor de retorno com a venda onde fatalmente vai se perder muito dinheiro por se tratar de atleta problema em final de carreira.

  2. Eu não notei a existência de qualquer citação sobre a volta “triunfante” do grande Juan… Acho que até o garoto do sub15 joga mais que ele. Eo Paulo Miranda? O que me dizem dele atuando na sua posição de origem: zagueiro central? E as bolas aéreas? Tudo com antes…certo? Não mudou nadica de nada…nem a marca do uísque! Previsão: novo período de tormenta!

    • Bem lembrado, o pior é que o Juan estava a disposição desde o final do ano para ser avaliado se reintegrava ao grupo ou não, na minha visão foi a alternativa mais fácil encontrada para a lateral esquerda uma vez que o Cortez não vinha bem e o Carleto vive de lampejos.
      No entanto volto a frisar a irracionalidade do que foi feito para avaliação dos substitutos, uma substituição pontual do Carleto pelo Juan mostraria se haveria alguma diferença de comportamento no setor, mas como trocou-se o time todo, foi criado um novo cenário que nada representa para avaliar os desempenhos, apesar de sabermos bem do que Juan é capaz ou não.
      Quanto ao Paulo Miranda a meu ver tem poucos recursos, necessita de um lateral mais fixo ao seu lado e um quarto beque que limpe a área por cima caso contrário não consegue jogar, não uma boa escolha para um time que pretende jogar em alto nível.

  3. Vamos buscar terceiro ou quarto lugar no brasileiro no máximo.

    Falta elenco, o arrogante presidente do SPFC não consegue fazer o papel que lhe era cabido e a admnistração do São Paulo está um circo.
    Temos 3 personagens que não tem função no SPFC – Leco, JPJL e Adalberto. Fora o Milton Cruz que morreu.
    4 pessoas sem função.

  4. De duas uma, ou o técnico é ingênuo e muito ruim ou mal intencionado e acha que todos são idiotas.
    No jogo ele posicionou novamente o Douglas como terceiro atacante, obrigando o Rodrigo Caio cumprir duas funções fazendo também a lateral e deixando Lúcio desprotegido, o 4-4-2 em losango com Jadson centralizado só no papel.
    Ele continua insistindo no Douglas como atacante atrapalhando toda a movimentação do time.
    Tanto isso é verdade que colocou Silvinho pela esquerda que se enrolou com Carleto e Maicon, não produzindo o que poderia se jogasse flutuando a frente do Jadson para ser opção para jogadas pelas pontas tanto com os volantes, como com os laterais.
    Enfim conseguiu novamente formar um amontoado de jogadores sem funções definidas.
    Quanto ao time reserva foi pior, primeiro porque trocou o time todo indo por terra a mescla de introduzir algumas peças no time titular, isto é básico.
    Segundo todos queriam mostrar serviço e fizeram o verdadeiro bumba meu boi, uma confusão sem qualquer sentido.
    E por fim o decantado treino de chutes a gol, cobrança de faltas e escanteio ficou também no papel por que o que se viu foi um o mesmo nível até então demonstrado, ou seja, péssimo.
    Amigos preparem seus fígados e sistema nervoso para o que vem pela frente.
    Minhas Saudações Tricolores.

  5. Peço desculpas pelo palavreado, mas é que eu já estou cansado de ver isso e não aguento mais, mas alguém sabe porque esse FDP desse técnico não consegue colocar Rodrigo Caio e Wellington para jogarem juntos? Qual dificuldade? Será que o risco é apenas isso dar certo e todo mundo descobrir que ele é muito, mas muito, burro?

      • Respeito sua observação, mas discordo.
        Rodrigo caio é um volante que antes era zagueiro, portanto é o “cabeça de área” – como muitos gostam de chamar – com um bom passe, enquanto Wellington era segundo volante e foi adaptado para ser primeiro.

        Sobre o comentário do Regis, eu concordo plenamente.
        Esse técnico não tem gabarito para nosso Tricolor. Ele ainda é piloto de teco teco e ainda não consegue decolar um Boing.

        • Sergio, ainda bem que eu não estou louco. Como bem observado por você, Wellington jogava no meio de campo para frente no juniores e foi adaptado à função de primeiro volante. Ele tem tudo para ser o segundo volante a la Mineiro. Futebol tem para isso. Só que o tempo está passando e ele desaprendendo. Ainda mais ao lado de caras inertes como Denilson e Maicon.
          A zaga precisa de um volante forte na marcação (não confundir forte com truculento) e um segundo volante que também saiba marcar e sair jogando, ou então teremos que voltar a ter três zagueiros. Um desperdício no futebol atual, porque isso demonstra que temos jogadores sem função no meio de campo.

          • Perfeito comentário de vocês, mais um vez ontem insistiu em deixar o Denílson como volante a frente da zaga com Rodrigo Caio e Maicon pelos lados, com agravante que adiantou o Douglas. A melhor receita para um elenco limitado é o arroz com feijão utilizando os recursos natos de cada atleta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*