Ney valoriza classificação e vê injustiça na cobrança por raça

Após a vitória magra sobre o Penapolense, neste domingo, por Morumbi, o técnico Ney Franco, do São Paulo, mostrou decepção com a torcida por conta dos gritos de “raça” que vieram das arquibancadas quando o placar ainda marcava 0 a 0. Para o treinador, nunca faltou determinação para a equipe.

– Se tem uma coisa que não falta é raça. Esse coro, esse cântico, é de costume da torcida do São Paulo quando não está ganhando. Mas tenho passado isso aos jogadores, não faltou empenho em nenhum jogo. Se o grito é para demonstrar que a equipe está sem raça, está se cometendo um injustiça – disse Ney Franco, em entrevista coletiva após a partida.

O triunfo sobre o clube do interior, com gol contra de Jailton, colocou o São Paulo nas semifinais do Paulistão. O jogo contra o Corinthians deverá acontecer no próximo domingo.

O pedido de raça, curiosamente, aconteceu em um dia de comemoração por conta das obras do Morumbi, que contou com a campanha “Vermelho, a cor da raça”. O São Paulo jogou até com uniforme especial, todo banhado em vermelho. Apesar da rejeição de boa parte da torcida à nova camisa, Ney Franco disse ter gostado do manto.

– Por experiência de outros clubes, de terceiro uniforme, o primeiro impacto na maioria das vezes é negativo, mas depois se acostuma com o uniforme. Talvez pela distância, mas com o material de perto é um uniforme muito bonito. Eu gostei, achei muito legal o uniforme. Até porque, embora não tenha sido jogador profissional, meu time de várzea era todo vermelho (risos).
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*