Ney projeta Lucas em paz com torcida até dezembro e adaptável ao PSG

Antes mesmo da concretização da venda de Lucas ao Paris Saint-Germain, Ney Franco já abria um sorriso pela possibilidade de tê-lo, ao menos, até dezembro. Com a confirmação do astro no São Paulo no resto de 2012, o técnico projeta tanto sucesso – que deve se repetir na Europa – a ponto de nem pensar em protestos da torcida caso o meia-atacante não renda bem em alguns jogos.

“Independentemente se o jogador vai sair ou não, é o seu desempenho que define a reação da torcida. Pelo histórico do Lucas no clube, pelo que já representou até hoje no São Paulo e pelas coisas que estão acontecendo de forma muito clara, não deve ter nenhum problema com o torcedor. Vejo-o em outro caminho, ele pode nos ajudar muito”, apostou o treinador.

O comandante ainda não pôde trabalhar com o camisa 7 no Tricolor, mas o usou como camisa 10 na conquista da Seleção Brasileira no Sul-americano sub-20, quando o País conquistou a vaga nas Olimpíadas do time que hoje tem Lucas no banco e está na final em Londres diante do México.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Ney ainda não trabalhou com Lucas no São Paulo, mas prevê sucesso dele tanto em 2012 quanto na Europa

Ciente da qualidade do atleta que completará 20 anos na próxima semana, Ney Franco aposta que o jogador provará na França que vale os 43 milhões de euros (R$ 108,3 milhões) pagos pelo PSG na negociação mais cara da história do futebol brasileiro.

 

“Além de ser bom atleta, é um garoto muito profissional. Com o histórico dele, tem tudo para chegar à Europa, principalmente na França, e ter uma boa adaptação. Lá tem muito brasileiro e isso facilita. É só se manter profissional porque ele, além de desequilibrar em campo, é consciente de sua função e bem atlético”, elogiou.

Mas o clube francês, do técnico Carlo Ancelotti, só poderá contar com Lucas a partir de janeiro. Até lá, Ney Franco poderá usufruir do futebol do astro, o que, para Ney Franco, aumenta as chances de o técnico cumprir a promessa de assumir a responsabilidade de levar a equipe a um título ainda nesta temporada.

“É o ideal para nós porque atende no aspecto financeiro e técnico para fecharmos bem nas duas competições que temos, porque ele é um jogador que faz a diferença dentro de qualquer competição no Brasil ou na América do Sul. O pensamento é sempre de trabalhar em busca do título e o São Paulo ainda está no páreo tanto no Brasileiro quanto na Sul-americana”, falou o treinador.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*