Na história do São Paulo, Calleri vê evolução e já projeta jogo com o River

Não demorou muito para o argentino Jonathan Calleri entrar na história do São Paulo. Depois de ter superado uma seca de gols que levantou suspeitas sobre a sua contratação, o centroavante aproveitou a fragilidade do Trujillanos para anotar quatro gols na goleada por 6 a 0, na terça-feira, e quebrar dois recordes. O jogador, que nunca havia balançado as redes quatro vezes numa só partida em sua carreira, também se tornou o primeiro atleta tricolor a anotar tantos gols num jogo de Libertadores.

As marcas mais expressivas eram de Pedro Rocha e Palhinha, que tinham marcado três gols cada em jogos válidos pelo torneio continental. Feliz por ter quebrado o recorde, Calleri disse que seu maior objetivo é manter o alto nível na sequência da temporada. Ele só tem contrato com o clube até o final do primeiro semestre.

“Eu não me apego às marcas históricas. Estou preocupado com o rendimento da equipe. Se ela não está bem, eu não faço gols. Tenho que agradecer a todos pelo apoio. Não sei se foi a melhor partida da minha carreira, mas sem dúvidas foi a mais contundente”, afirmou o jogador.

O atacante argentino apontou evolução no time de Edgardo Bauza, mas ressaltou que a goleada sobre o Trujillanos não apaga o rendimento ruim visto nas primeiras rodadas da Libertadores e do Paulistão. “Foi só uma partida, Todos nós sabemos que estamos em falta e que às vezes não jogamos bem. Hoje foi um grande espetáculo e serve de exemplo para a equipe seguir na fase de grupos. Temos um jogo difícil contra o River, na quarta-feira, e precisamos vencer”, disse.

Apesar da cautela, o embalo para pegar o River Plate não pode ser ignorado. A goleada de terça-feira foi o placar mais elástico do São Paulo na história da Libertadores. Já o último jogador que havia marcado quatro gols numa única partida havia sido o atacante Fernandinho, na goleada por 5 a 1 sobre o modesto Monte Azul, em fevereiro de 2010.

“A motivação tem que existir sempre, mas claro que um jogo assim me deixa mais confiante. Na verdade, nada me deixa mais tranquilo do que o respeito dos meus companheiros em campo e a confiança da diretoria e da comissão técnica. Eu estou feliz e agora vamos desfrutar desse momento”, afirmou o atacante.

A tendência é que Calleri seja poupado do duelo contra o São Bento, nesse domingo, pela última rodada da fase de grupos do Paulistão. A decisão de Bauza visa à preservação da condição física do argentino para a decisão com o River. Para o argentino, que atuou pelo Boca Juniors, o confronto com os millonarios poderia ter um gosto especial. Mas ele nega.

“Essa é uma partida a mais. Estive em campo muitas vezes contra o River, sendo que ganhei e perdi. Dessa vez, espero ganhar para levar o São Paulo à próxima fase”, disse o argentino, que se negou a torcer pelos bolivianos do Strongest no jogo dessa quarta-feira, contra o time de Buenos Aires. “O torcedor deve torcer para o São Paulo. Se o São Paulo não ganhar do River e do Strongest, em La Paz, os outros resultados não significarão nada para nós”, concluiu.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*