Na capital, Mirassol e São Paulo repetem confronto pela Copa Paulista

Após o confronto da última terça-feira, realizado no interior paulista, São Paulo e Mirassol voltam a se encontrar pela Copa Paulista neste domingo. A partida que abre o returno da segunda fase será disputada no Morumbi, às 10h.

Com apenas um ponto somado nas três primeiras partidas, o São Paulo está na lanterna do Grupo 8 da Copinha e não venceu no primeiro turno desta fase. O time precisa derrotar o Mirassol para tentar empatar com o rival no número de pontos.

Com uma campanha de uma vitória, um empate e uma derrota na chave, o Mirassol tem quatro pontos e ocupa a vice-liderança atrás do Rio Claro, que tem sete, e está à frente do São Caetano apenas nos critérios de desempate. No jogo da última terça, o Leão venceu por 1 a 0, jogando no interior de São Paulo.

 

Fonte: Globo Esporte

2 comentários em “Na capital, Mirassol e São Paulo repetem confronto pela Copa Paulista

  1. É isso, Sempre Tricolor! Incoerência total!
    Também não seria lógico aproveitar as qualidades do técnico do sub20 para treinar o time profissional, já que há muito estamos à míngua de treinador? Seria arriscado?
    Mas também não foram riscos – com os resultados confirmados – quando contrataram o Bauza e, depois, o Ricardo, seu fiel seguidor?
    Coisas que acontecem no São Paulo e que ninguém, medianamente inteligente, consegue entender. São capazes de correr riscos gastando 400 mil mensais; vêem os péssimos resultados conquistados, mas não são capazes de assumirem o risco de bancar um jovem treinador, mesmo conscientes de seus resultados . Se o Jardine é capaz de montar um esquema tático de jogo e sabe explora-lo no sub20, seria só questão dele ter segurança e apoio da diretoria para fazê-lo também com os profissionais. Mas acho que coerência é muito difícil de se encontrar nesta diretoria são-paulina…

  2. Ao que parece a base está em sintonia em todas as categorias, mantendo uma forma de jogar e ganhando a maioria dos títulos que disputa. Oras, porque então que este sistema, esta filosofia não é usada no profissional? Não seria bem mais fácil a adaptação dos jogadores de base e consequentemente o aproveitamento da maioria dos jogadores formados?
    São coisas lógicas que nunca veremos no mundo do futebol “profissional”..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*