Muricy reprova próprio time, mas se irrita com críticas externas

O São Paulo entra no mês de agosto, o oitavo do ano, com problemas, falhas inadmissíveis e pior do que estava antes da pausa para a Copa do Mundo. Para chegar a esta conclusão, não é preciso ir longe e a melhor fonte de consulta é o próprio comandante da equipe, o técnico Muricy Ramalho. 

Nas entrevistas após os últimos três jogos, Muricy escancarou defeitos graves, que impedem o Tricolor de se firmar na parte de cima da tabela do Campeonato Brasileiro e, finalmente, deslanchar na temporada.

Erros como de marcação na bola parada, desatenção, oscilação e falta de poderio ofensivo integram  algumas das alfinetadas que Muricy deu no próprio time. Curioso é que o discurso, que poderia representar humildade, contrasta com a reação do treinador quando seu trabalho em busca de resultados é questionado.

 

Após a vitória de 2 a 1 sobre o Bragantino, na última quarta-feira, Muricy se irritou e deu resposta atravessada ao repórter ao ser perguntado sobre por que o time não conseguiu jogar bem diante de adversário tão frágil. O Braga ocupa a penúltima colocação da Série B e caminha a passos largos para ser rebaixado.

– Contra o fraco, você tem de ganhar. E não tinha ninguém fraco, como você (repórter) gosta de desmerecer os outros. São profissionais do outro lado e tiveram dificuldade para jogar contra o São Paulo – disse.

Muricy fala com a autoridade de quem está plenamente respaldado pela diretoria, que adota a postura de bancá-lo sob qualquer custo.

– Estou satisfeito com o trabalho do Muricy. Falta fazer gol e não tomar. Claro que não gostei do jogo, mas isso não tem a ver com o trabalho. Estou satisfeito. O grupo ainda não jogou junto, tem lesionados. Se eu falei que ele não sai enquanto eu estiver na presidência, é porque é isso. Ele sabe o que faz – afirmou o presidente Carlos Miguel Aidar.

– Foram acidentes de percurso, porque tudo tem sido ótimo  – completou o vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro.

Além de dar segurança, a nova diretoria atendeu  os pedidos do técnico sobre  reforços e preparação. Contratou Alan Kardec e Kaká, trouxe de volta Rafael Toloi e levou a equipe para os Estados Unidos durante a Copa, período muito elogiado.

Por isso, espera e cobrou publicamente a conquista do título brasileiro.  A tarefa é dura. As palavras do comandante não deixam mentir.

 

AS CRÍTICAS DE MURICY

 

Após derrota para a Chapecoense, dia 19 no Morumbi

 

“São os mesmos jogadores, mesma maneira de jogar. Não pode oscilar. Tivemos muito tempo para treinar e isso não pode acontecer.

 

Não tivemos paciência para trabalhar a bola e entrar na base da movimentação. Aceitamos a marcação.

Já tiveram muito tempo treinando e tinha que ter o mesmo ritmo de fora de casa.”

 

Após derrota para o Goiás, dia 27 no Serra Dourada

 

“O que não pode é um time do nosso tamanho tomar gol em bolas paradas, sendo que treinamos isso a semana toda. Mudou a sequência da partida. Tem informação, vídeo.. Não dá para perdoar esse tipo de coisa. Foram dois gols.

 

Só pode ser desatenção. Se você não treina não pode cobrar nada, é algo que às vezes passa despercebido. Mas nós sabíamos e tínhamos de marcar essa jogada.

Isso é falta de concentração.”

 

Após vitória sobre o Bragantino por 2 a 1 na Copa do Brasil.

 

“A gente precisa fazer mais gol. O goleiro adversário tem que trabalhar mais. Hoje (quarta) trabalhou um pouco mais. Tivemos mais a posse de bola, como tivemos em Goiás, mas o goleiro tem que trabalhar mais. Nosso time é ofensivo, mas não tem incomodado tanto, precisamos chutar.

Com certeza a gente tem que melhorar muito. Na primeira parte do campeonato a gente estava muito melhor do que está hoje. ”


Fonte: Lance

2 comentários em “Muricy reprova próprio time, mas se irrita com críticas externas

  1. É; é o velho Murici se esperneando !
    Ao invés de ficar na beira do campo se esgoelando, jogando para a torcida a seu modo, brigando com repórter que ouse questionar o seu fraco trabalho, deveria pesquisar e estudar mais para treinar melhor o seu time. Ele poderia, pra começar, trocar de auxiliar técnico, contratando alguém que pudesse lhe ajudar a inovar nos esquemas táticos e preparação da equipe. Nada contra o Tata, companheiro de longa data e que me parece uma ótima pessoa. Acontece que ele fica ali apenas para dizer amém ao que faz o chefe; não acredito que, dele, possa vir alguma ajuda muito necessária neste momento. Já que o presidente confirmou que o treinador só vai sair com ele, melhor nos conformarmos e sugerirmos alguma mudança para ajudar o professor . . .

  2. Deixo claro, clarissimo, sou fan do Murici,
    masss, contra o Braga, tivemos dois gols de graca,
    tivemos tres jogadores inoperantes,
    maicon, ademilson e dougrasss,
    nenhuma substituicao, isso e’ inadmissivel.
    ???? pra que banco enta’o ?????
    Boschila, Auro, Hudson, na’o servem,
    enta’o manda pra terra da fantasia, kotia.
    Nosso vizinho colocou apenas nove pratas da casa num jogo em LOndrina
    e na’o fez feio. No’s jogando um futebolzinho, na’o colocamos ninguem,
    ganhando o jogo, jogando mal.
    ???? o que acontece, sera’ ??????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*