Muricy pede mais gols de meias e Hugo se coloca à disposição do SP

O meia Hugo pode não ser unanimidade entre os torcedores são-paulinos, mas carregou mais fãs do que críticos após três anos no Morumbi, dois títulos do Brasileirão e muitos gols – alguns decisivos, mais frescos na memória da torcida. Ele jogou no São Paulo de Muricy Ramalho, um de seus maiores fãs, que tem cobrado gols dos meias e conversado com Paulo Henrique Ganso por maior participação. Para 2014, ele já sabe que poderá contar com a antiga solução: Hugo se coloca à disposição para voltar ao Morumbi.

“São Paulo é um baita clube, não tem nem o que falar. Com certeza, um convite do São Paulo eu estou disposto a encarar. Minha carreira está mais próxima do fim e seria uma boa”, afirmou Hugo, ao UOL Esporte.

Aos 32 anos, Hugo tem contrato até maio de 2014 com o Goiás, é titular e enfrentou o São Paulo no último domingo, no jogo em que o também ex-são-paulino Rodrigo marcou gol de falta nos acréscimos e deu a Muricy sua primeira derrota após o retorno.

“Dei um abraço nele no domingo, falei para lembrar de mim quando estiver no paraíso”, brinca Hugo, sobre o reencontro com o técnico no Serra Dourada. “Era uma brincadeira que a gente fazia com ele no São Paulo, quando achávamos que ele sairia para a Seleção. Dizia para ele lembrar de mim quando estivesse lá”, acrescenta o meia.

Nesse Brasileirão, Hugo fez apenas dois gols – um deles há duas semanas, contra o antigo rival Corinthians –, mas carrega bom histórico pelo São Paulo. Sob o comando de Muricy, atingiu marcas melhores.

Hugo jogou no São Paulo entre 2007 e 2009, mas teve sua melhor fase em 2008, quando foi titular absoluto. Ele era peça fundamental do esquema de Muricy Ramalho. Era o meia que, na teoria, teria de armar o time, mas que na prática funcionava como um ponta de lança e alternativa para balançar as redes. Muitas vezes de cabeça, em cruzamentos de Jorge Wagner. Foram 14 gols marcados pelo jogador naquela temporada – só fez menos que Borges (26) e Adriano (17).

“Era um pedido do Muricy. Ele falava para mim que eu tinha que entrar mais na área e fazia trabalho diário de finalização, sempre após o s treinamentos. Chute a gol e cabeceio. A gente fazia isso quase todos os dias, direto. Fui aperfeiçoando, isso me deu mais tempo de bola. As cobranças dele são essas, meia tem que entrar na área”, conta Hugo, sobre os ensinamentos de Muricy.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.