Muricy não se empolga com Seleção: “Tem que ver para crer”

Bombardeado com perguntas sobre a possibilidade de assumir a Seleção Brasileira no lugar de Luiz Felipe Scolari, o técnico Muricy Ramalho se esquivou e mostrou irritação com o assunto na coletiva do São Paulo após o treino desta sexta-feira. O comandante tricolor não se mostrou muito empolgado com a oportunidade e garantiu manter o clube como prioridade.

“Eu estou feliz no São Paulo, muito concentrado no que estou fazendo, não me empolgo muito com esse tipo de coisa. Meu foco é aqui”, garantiu o comandante.

Muricy ainda comentou sobre a escolha de Gilmar Rinaldi como novo coordenador de seleções da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). E, caso seja escolhido, adiantou que não mudará seu estilo.

“Existem pessoas lá que estão decidindo, eles contrataram uma pessoa para gerir o futebol e precisa ter autonomia para decidir, porque senão continua a mesma coisa. E eu me conheço bem. Tem que ser o que eu penso de futebol. Tem coisas que não aceito. Isso ai é só vendo, tem que ver para crer. Tenho minha maneira de pensar e não mudo, foi assim que cheguei aqui”, afirmou.

Encurralado com uma nova pergunta, que questionava se aceitaria ou não o cargo, Muricy perdeu a paciência, replicando de sua maneira peculiar. “Estou respondendo demais sobre a Seleção. Tenho um jogo importante amanhã e meu foco é o São Paulo”, concluiu.

Fonte: Gazeta Esportiva

Um comentário em “Muricy não se empolga com Seleção: “Tem que ver para crer”

  1. Olha, gosto do Muricy como pessoa pública, acho ele meio estúpido em determinados momentos onde dá patadas homéricas em jogadores e jornalistas e acho ele um pouco estagnado como treinador. Só na escolha do Gilmar como coordenador de seleções, já deu pra sacar que a CBF quer que se dane qualquer tipo de renovação ou seriedade no futebol brasileiro.
    Trazer alguma renovação ou modernidade seria trazer um cara de fora com a cabeça fresca, não vejo nenhum brasileiro apto a fazer o que precisamos.

    Muricy, Tite, Felipão… dá na mesma, podem formar um bom grupo, pode encaixar e dar certo como foi na Copa das Confederações, mas não vai modernizar nada, melhorar nada nem evoluir nada.

    Na minha visão, pro futebol brasileiro evoluir, os clubes deveriam virar as costas para a CBF e se organizarem, entre si mesmos, criarem ligas visando beneficiar o esporte em si, jogos em dias e horários que atraiam público ao estádio, organizar o calendário para equilibrar a quantidade de jogos entre os grandes e pequenos, ouvir o que o Bom Senso FC tem a dizer, enfim… aproveitar a oportunidade pra se mandar da CBF, uma instituição privada que não deixa de lucrar 1 real para beneficiar o futebol, só querem saber deles mesmos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*