Muricy exalta equipe e opina sobre Ceni: “Ainda tem um pouco para dar”

Uma vitória de um time que vive um momento consistente, que sabe o que faz em campo e que, mesmo diante das dificuldades, consegue se manter na briga pelas duas competições. Foi dessa maneira que o técnico Muricy Ramalho analisou o triunfo POR 2 a 0 sobre o Palmeiras, Neste domingo, pela 34 rodada do Brasileirão. O resultado deixou o time a quatro pontos do líder Cruzeiro, que ainda tem um jogo a mais para realizar.

– Começamos muito bem no primeiro tempo. No segundo, o time acusou um pouco o desgaste, mas depois cresceu novamente e mereceu a vitória. A equipe está muito segura, faz gols em todos os jogos, sabe o que precisa fazer – afirmou.

O treinador também voltou a falar sobre o goleiro e capitão Rogério Ceni, que deve se aposentar ao final da temporada. O treinador deixou claro que o camisa 1 ainda tem lenha para queimar.

– Sou um cara que dou opinião e não me importo. Lamentamos quando um cara desse vai parar. É ele que escolhe. Se parar, será no auge, é o melhor goleiro do Brasil. Minha opinião é que ele ainda tem coisa para dar, mas é ele que decide.

O treinador projetou ainda o duelo contra o Nacional de Medelim, quarta-feira, na Colômbia, pelas semifinais da Copa Sul-Americana.

Veja os principais tópicos da entrevista do treinador.

Momento da equipe

– Infelizmente, fomos formando o time na competição. A maneira de jogar também. Viemos de uma grande mudança de 2013 para cá. Acho que o São Paulo está fazendo um grande campeonato. O Cruzeiro é o grande favorito, se preparou para isso e é assim que se funciona no futebol. Só agora estamos brigando.

Luis Fabiano goleador

– A filosofia de trabalho é assim. Ele sabe que precisa fazer gols e está fazendo. Além disso, está brigando pelo time, coisa que não fazia. O Luis é que se escalou. Mas ele sabe que precisa continuar nesse nível porque o Pato está de volta. Sobre o fato dele quase ter tirado a camisa, acho que está errado. Não existe isso. Tomar cartão por causa disso é absurdo e ainda prejudica o patrocinador.

 Michel Bastos será o substituto de Kaká? 

– Não adianta ter apenas ele. Para o ano que vem, vamos fazer como o Cruzeiro. Fecharemos o ano com uma base formada e traremos apenas peças de qualidade, que cheguem para encaixar no time. O Michel com certeza é versátil e isso ajuda muito. É esse tipo de jogador que é valorizado. Mostra que contratamos bem. Joga bem em todos os lugares e tem uma condição física privilegiada.

Nacional de Medelim também está desgastado

– Eles tinham um jogo hoje pela semifinal do campeonato colombiano e também usaram suas principais peças. Conversamos muito na preleção que a vitória era muito importante não só para manter a briga pelo brasileiro, mas também para manter a confiança na temporada.

Time vive o ápice da temporada?

– Estamos num bom momento, jogando muito bem. O que me preocupa é o lado físico, você vê os caras reclamando demais do desgaste. Estamos indo na confiança, ganhando jogos. Se tivéssemos esse time desde o começo do campeonato, estaríamos na frente.

Teme pressão na Colômbia?

– De maneira nenhuma. É um dos melhores lugares para se jogar. Os colombianos são muito educados. Se não me engano, o campo do Bogotá não tem alambrado e ninguém põe o pé para fora. Sempre fomos muito bem tratados.

Fonte: Globo  Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*