Mulher de Breno teme que anúncio do São Paulo atrapalhe processo

O São Paulo acertou um contrato válido por três temporadas com o zagueiro Breno, o acordo foi divulgado pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) no BID (Boletim Informativo Diário), mas certo mesmo é que o jogador não tem prazo ainda para voltar ao país. Renata Borges, mulher de Breno, teme inclusive que o anúncio do clube paulista atrapalhe Breno no processo judicial no qual ele é réu na Alemanha.

Em contato com o UOL Esporte, Renata admitiu receio da maneira como será recebida pela justiça alemã a informação de que Breno tem um vínculo de trabalho no Brasil. Para ela, a notícia pode ser interpretada como se Breno estivesse com a intenção de fugir do país e não aguardar o término do processo.

“Neste momento, a nossa única preocupação é ver o Breno em liberdade, fora da prisão. Não sei sinceramente como a justiça alemã pode receber essa notícia do São Paulo. Não esperava que isso fosse aparecer na mídia. Eles podem imaginar que ele não quer esperar o fim do processo, e isso não é verdade. A gente pretende voltar ao Brasil, sim, mas só quando esta situação estiver completamente resolvida”, afirmou.

Um dos motivos que pode ‘facilitar’ a saída do zagueiro da prisão em breve é ele ter um contrato de trabalho na Alemanha. Para isso, existe uma conversa constante com o Nuremberg, que manifestou interesse em assinar um vínculo com o jogador e chegou até mesmo a entrar em contato com a justiça para saber qual a forma correta de agir. Assim, ficaria claro que Breno não pretende deixar o país antes da resolução do processo, além de se manter na ativa.

Em nota oficial publicada em seu site, o São Paulo afirmou que “recomendado e referendado por seu departamento jurídico, firmou com o atleta um vínculo válido por três temporadas visando dar segurança, estabilidade e acima de tudo perspectiva para o jogador”. Ao UOL Esporte, Kalil Rocha Abdalla, advogado do clube, disse desconhecer a legislação alemã, e reiterou que o clube paulista assinou o vínculo para ajudar o jogador, já que um contrato de trabalho fixo poderia facilitar sua liberdade.

UOL Esporte apurou que a soltura de Breno pode ocorrer até mesmo no começo da próxima semana, já que houve um pedido de habeas corpus e a resposta sairá em breve. Caso a justiça liberte o zagueiro, a tendência é que em janeiro ou fevereiro haja uma revisão do processo, no qual a pena poderia ser diminuída e ele fosse até mesmo liberado do restante. Até lá ele ainda estaria impedido de deixar o país, o que certamente o impede de se apresentar ao São Paulo.

O clube paulista aguarda, e não forçará nenhuma atitude de seu mais novo contratado. Ainda no documento publicado, o São Paulo afirma que “seguirá acompanhando a situação de Breno e reitera sua confiança na justiça alemã para que a situação do atleta tenha a resolução mais adequada possível, esclarecendo que, tão logo o atleta tenha condição de regressar ao país, passará a exercer regularmente suas atividades no clube e terá isso refletido na remuneração inicialmente ajustada”.

Esportivamente, Breno está livre de vínculo desde que o contrato com o Bayern de Munique se encerrou, em junho deste ano. No mês seguinte, porém, ele acabou preso, acusado de ter provocado um incêndio em sua residência em setembro do ano passado. Considerado culpado pela justiça, foi condenado a três anos e nove meses de detenção.

Fonte: Uol

3 comentários em “Mulher de Breno teme que anúncio do São Paulo atrapalhe processo

  1. Prezado Paulo Pontes,
    Sugiro que você aborte matérias do UOL a respeito do São Paulo em seu espaço. Eles são, SEM EXCEÇÃO, negativas ou tendenciosas, bem a estilo dos redatores de esportes desse veículo. Claro, a maioria deles torce pelo time dos galinhas da marginal.
    Já a matéria em questão é tão absurda, mal feita e não pesquisada, pois se chegou ao absurdo de pegarem declarações da infeliz e praticamente iletrada (desculpem o termo usado) esposa do jogador. Dai se explica porque durante o processo que condenou Breno, os advogados contratados pelo Bayern proibirem que ela desse qualquer declaração à imprensa.
    Durante o processo ela praticamente só comprometeu o jogador.
    Vamos aos fatos: tanto a esposa do jogador quanto o imbecil repórter do UOL (redundância) desconhecem o sistema penal alemão.
    O sistema penal alemão só permite algum tipo de diminuição de pena após serem cumpridos alguns requisitos. Um deles é justamente o condenado possuir uma proposta concreta de emprego. Neste caso, o São Paulo está contribuindo, ao assinar um contrato de trabalho até mesmo retroativo, para mostrar que tem toda a confiança na reabilitação do condenado.
    A sua liberação ou não pela justiça alemã em NADA é influenciada pela revelação do contrato com o clube brasileiro, mas sim pela decisão do juiz no sentido de permitir que ele possa sair do país, ou cumpra o resto de sua pena, mesmo que em regime semiaberto, em território alemão.
    De qualquer modo, a ÚNICA CERTEZA é que a não existência de um contrato de trabalho, sim, pode dificultar qualquer intenção de se solicitar a redução de pena do jogador.
    Obrigado pela oportunidade de esclarecer o assunto.

    • Delgado, muito bom o esclarecimento. Vou procurar evitar algumas publicações quando sentir maldade contra o São Paulo, principalmente as do Uol. Mas veja que foi até interessante essa publicação, pois você pode dar uma aula de direito internacional e enriquecer as páginas do Tricolor na Web. É ótimo termos leitores assim, tão qualificados. Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*