Morato é a venda mais cara de um zagueiro do SP nos últimos dez anos

No último final de semana, o São Paulo concretizou a venda mais cara de um zagueiro do clube nos últimos dez anos. Morato, aos 18 anos, foi para o Benfica por 6 milhões de euros (cerca de R$ 27,3 na cotação atual). E o clube ainda permanece com 15% de direitos do atleta.

A negociação impressiona pelo fato de Morato nunca ter disputado uma partida sequer pelos profissionais do São Paulo. Neste ano, ele foi chamado para integrar treinos com o técnico Cuca, foi relacionado para três partidas, mas não entrou em campo. Sem espaço, voltou para o time sub-20.

A venda de Morato ultrapassa a de Maicon, em 2017, para o Galatasaray, da Turquia. Na época, o zagueiro deixou o Tricolor por R$ 25,7 milhões, mais bonificações por metas, conquistadas tempos mais tarde.

Abaixo, o Globo Esporte listou as vendas mais caras de zagueiros do São Paulo nos últimos dez anos. Todos os valores foram convertidos para reais de acordo com a cotação da época da transferência. O levantamento também não leva em conta revendas e bonificações.

Veja a lista

Morato – R$ 27,3 milhões

O jogador de 18 anos se destacou na conquista do São Paulo da Copinha deste ano e despertou interesse de vários clubes da Europa. O Porto era um dos interessados, mas foi o rival Benfica, de Portugal, que ganhou a disputa por R$ 27,3 milhões. O Tricolor ainda mantém 15% dos direitos do jogador para lucrar com vendas futuras.

Morato irá, inicialmente, treinar no time B do Benfica. A ideia é ele ganhar maturidade e ser integrado aos profissionais. O anúncio no clube português foi feito na última segunda-feira. A venda se tornou a mais cara de um zagueiro do São Paulo nos últimos dez anos.

Morato com a camisa do Benfica — Foto: Divulgação/Benfica

Morato com a camisa do Benfica — Foto: Divulgação/Benfica

Maicon – R$ 25,7 milhões

Em 2016, Maicon ganhou a idolatria da torcida do São Paulo pela raça demonstrada dentro de campo. O zagueiro chegou a ser um dos principais jogadores do time, mas não conseguiu repetir o mesmo desempenho no ano seguinte e foi vendido.

Por R$ 25,7 milhões, ele foi para o Galatasaray, da Turquia. O contrato ainda previa R$ 3,6 milhões de bônus condicionados a metas, que foram conquistadas.

Maicon era até então a venda mais cara de um zagueiro do São Paulo nos últimos dez anos — Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net

Maicon era até então a venda mais cara de um zagueiro do São Paulo nos últimos dez anos — Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net

Rodrigo Caio – R$ 22 milhões

No final de 2018, o São Paulo vendeu 45% de Rodrigo Caio ao Flamengo por R$ 22 milhões. O Tricolor manteve outros 45% dos direitos. O próprio defensor tem os 10% restantes.

O Flamengo poderá aumentar sua fatia nos direitos: há dois bônus anuais por metas cumpridas de 15% dos direitos ao preço de 1 milhão de euros (R$ 4,4 milhões, na cotação do fim de 2018) cada, a serem adquiridos nos próximos dois anos.

Ou seja, ao final, se o Flamengo comprar as duas cotas, ficará com 75%, enquanto o São Paulo manterá 15% e o próprio Rodrigo Caio os 10% restantes. Nenhuma das cotas ainda foram adquiridas.

Rodrigo Caio em ação pelo Flamengo — Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Rodrigo Caio em ação pelo Flamengo — Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Lyanco – R$ 20 milhões

No início de 2017, o zagueiro foi vendido por R$ 20 milhões ao Torino, da Itália, mais bônus por metas. Ele cumpriu uma delas, que era fazer 15 partidas pelo clube italiano e rendeu mais R$ 2,2 milhões ao Tricolor.

Lyanco deixou o São Paulo por R$ 20 milhões — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Lyanco deixou o São Paulo por R$ 20 milhões — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Militão – R$ 17,7 milhões

No meio de 2018, o São Paulo vendeu Militão ao Porto em um negócio com alguns ganhos futuros. A venda inicial rendeu ao Tricolor R$ 17,7 milhões. No entanto, havia no acordo uma cláusula que previa 10% do total de uma venda futura do jogador, mais 2,8% via mecanismo de solidariedade da Fifa.

A revenda aconteceu no início deste ano, quando Militão foi negociado com o Real Madrid por R$ 215 milhões, e o São Paulo embolsou mais R$ 25 milhões. Ao todo, o Tricolor faturou R$ 42,7 milhões com o jogador.

São Paulo faturou R$ 42,7 milhões com Éder Militão — Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net

São Paulo faturou R$ 42,7 milhões com Éder Militão — Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net

Rafael Tolói – R$ 14 milhões

Revelado pelo Goiás, Tolói chegou ao São Paulo em 2012 e foi vendido em 2015 para a italiana Atalanta por R$ 14 milhões. O Tricolor, no entanto, só tinha 25% dos direitos econômicos do jogador e ficou com R$ 3,5 milhões.

São Paulo detinha apenas 25% de direitos de Rafael Tolói — Foto: site oficial / saopaulofc.net

São Paulo detinha apenas 25% de direitos de Rafael Tolói — Foto: site oficial / saopaulofc.net

Paulo Miranda – R$ 9,4 milhões

Assim como Rafael Tolói, Paulo Miranda também não deixou 100% do valor de venda para o São Paulo. O zagueiro foi transferido para o RB Salzburg, da Áustria, por R$ 9,4 milhões. Desse valor, no entanto, o clube brasileiro ficou com 40%, ou seja, R$ 3,7 milhões.

São Paulo detinha 40% de direitos de Paulo Miranda — Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net

São Paulo detinha 40% de direitos de Paulo Miranda — Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net

Tuta – R$ 7,6 milhões

Assim como Morato, Tuta sequer estreou pelos profissionais do São Paulo. Também campeão da Copinha de 2019, o zagueiro se despediu do São Paulo no fim de janeiro em um negócio que rendeu ao Tricolor R$ 7,6 milhões por 70% dos direitos do jogador. Tuta foi para Eintracht Frankfurt, da Alemanha.

Tuta sequer estreou pelos profissionais do São Paulo — Foto: Marcos Ribolli

Tuta sequer estreou pelos profissionais do São Paulo — Foto: Marcos Ribolli

André Dias – R$ 6,5 milhões

Tricampeão brasileiro pelo São Paulo, André Dias deixou o Tricolor em 2010 rumo à Lázio, da Itália. Pela transferência, o clube brasileiro recebeu R$ 6,5 milhões. Quando deixou o São Paulo, ele tinha 30 anos.

André Dias foi tricampeão brasileiro com o São Paulo — Foto: AP

André Dias foi tricampeão brasileiro com o São Paulo — Foto: AP

Breno – R$ 30,2 milhões – ainda o mais caro

Breno não faz parte do grupo de zagueiros vendidos nos últimos dez anos (ele saiu em 2008), mas ainda permanece sendo o zagueiro mais caro da história do São Paulo.

Na época, o jogador foi para o Bayern de Munique por R$ 30,2 milhões. Revelado pelo São Paulo, Breno era visto como uma das maiores promessas do Tricolor.

Breno continua como a maior venda de um zagueiro do São Paulo — Foto: Erico Leonan / site oficial do SPFC

Breno continua como a maior venda de um zagueiro do São Paulo — Foto: Erico Leonan / site oficial do SPFC

Fonte: Globo Esporte

2 comentários em “Morato é a venda mais cara de um zagueiro do SP nos últimos dez anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.