Militão vai embora em silêncio e não dá a coletiva prometida

Jogador do São Paulo desde os 13 anos de idade, o lateral Éder Militão encerrou neste domingo sua história com a camisa do Tricolor. Substituído por Bruno Peres aos 25 minutos do segundo tempo da vitória diante do Vasco, por 2 a 1, o são-paulino optou por deixar o Morumbi em silêncio.

O jovem defensor, de apenas 20 anos, está de malas prontas para defender o Porto, de Portugal. Os europeus desembolsaram 4 milhões de euros para tirá-lo do São Paulo, que ainda garantiu 10% de participação em uma futura venda do jogador para uma outra equipe.

Tímido, Militão não costuma dar entrevistas. Quando foi promovido aos profissionais pelo técnico Rogério Ceni, no ano passado, não foi nem sequer apresentado aos torcedores. Depois de assumir a titularidade da equipe, também optou pelo silêncio. Mantendo seu estilo, o último ato do lateral pela equipe do Morumbi não foi registrado em palavras.

Ao todo, o ex-dono da camisa 13 do São Paulo fez 57 jogos no profissional do Tricolor. Foram 26 vitórias, com 14 empates e 17 derrotas. Foram 4 gols e, embora não tenha conquistado títulos, ficou marcado por conta das boas atuações na temporada passada, quando o Tricolor conseguiu se livrar de um rebaixamento inédito no Brasileirão.

Apesar de lamentar a saída de mais um jovem jogador formado em Cotia, o São Paulo já tem um novo titular para a posição: Bruno Peres. Se adiantando à saída de seu titular, a diretoria foi atrás de um substituto durante a parada da Copa do Mundo e resolveu o problema antes mesmo dele acontecer.

– Militão é um grande jogador e, seguramente, vai triunfar na Europa porque tem condições muito boas. Sinto que o São Paulo estava fazendo as coisas bem. O Militão saiu e veio o Bruno Peres, que teve quase um mês de trabalho. Militão vai embora, mas tudo bem. Agora, é o momento do Bruno Peres. Vai nos ajudar muito. O planejamento nos ajuda – afirmou o técnico Diego Aguirre.

3 comentários em “Militão vai embora em silêncio e não dá a coletiva prometida

  1. O Militão tem todo o meu respeito e admiração. Embora ainda garoto, foi muito profissional e ajudou o time a estar na posição em que está neste momento.
    Mais um motivo para admirá-lo, é essa sua desnecessidade de ficar se mostrando em entrevistas e mídias sociais; numa época como esta, em que todos e tudo é feito para ser exibido nas redes, ele se mostra muito superior, talvez por se saber capaz de realizar todos seus sonhos sem precisar ficar se “confeteando” como a grande maioria do povo em geral e de “celebridades” em particular. Nunca foi por timidez, como dizem alguns; o atleta já mostrou sua forte personalidade ao longo de todo tempo em que jogou no S.Paulo e, em nenhum momento, se mostrou tímido.
    Siga bem, Militão!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*