Menos raça, mais cuidado: Álvaro Pereira não deve repetir volta após desmaio

O torcedor gostou, mas a cena cheia de raça do último final de semana não deve mais serepetir com Álvaro Pereira no São Paulo. O uruguaio caiu feio após disputa de bola com Bruno Lopes, bateu a cabeça com tudo no chão e acabou ficando desacordado. Primeiro a ver o que havia acontecido, o jogador do Criciúma chegou a ficar desesperados, mas o lateral tricolor se recuperou e fez questão de voltar a campo. Depois, ainda teve participação fundamental no gol de Alan Kardec, ao roubar a bola no campo de defesa com um carrinho.

E o uruguaio já tinha feito algo parecido durante a Copa do Mundo, em um duelo diante da Inglaterra. Tudo isso, porém, não foi aprovado pelo médico do São Paulo, José Sanchez. E o próprio Álvaro Pereira já teria admitido que não vai mais repetir a cena.

“Quando ele voltou da Copa, ele foi extremamente orientado que não era o correto. A gente passou subsídios para ele entender a importância de obedecer a orientação médica. Ele entendeu, argumentou que está na adrenalina do jogo e sempre quer continuar. Mas a gente vai insistir e ele já admitiu que não deveria ter voltado, que se expôs muito. Ele está bem orientado, se houver nova situação dessa ele sabe que não deve continuar”, disse José Sanchez à Rádio ESPN.

Por conta do lance, Álvaro Pereira passou toda a noite de sábado internado em observação em umhospital da capital paulista e só foi liberado por volta do meio-dia de domingo, quando uma tomografia mostrou mais uma vez que não havia nenhum problema.

 

Fonte: ESPN

Um comentário em “Menos raça, mais cuidado: Álvaro Pereira não deve repetir volta após desmaio

  1. Muito arriscado isso. A diretoria deveria intervir e deixar claro que a orientação médica deve ser seguida. Imagina se o problema fosse mais grave. É bom ver dedicação dos atletas, mas seria terrível ver alguém morrer em campo ou saber mais tarde que o atleta conmprometeu sua saúde e carreira. E para o São Paulo iria além da perda do atleta. Certamente responderia muitos processos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*