Melhor finalizador do BR, Fabuloso é a aposta são-paulina para o San-São

Não é à toa que Luis Fabiano tem dez gols em 11 jogos disputados neste Brasileirão. Nenhum outro jogador do campeonato consegue acertar tantos chutes na direção do gol quanto o centroavante, maior esperança do São Paulo para vencer o clássico contra o Santos, neste domingo, na Vila Belmiro.

O camisa 9 tem média de 2,2 finalizações certas por partida. Ou seja, a cada dois chutes de Fabuloso na meta adversária, um vai parar dentro das redes. Por isso, o nome dele aparece no topo da lista de artilheiros da competição. Entre outros fatores, o atacante atribui o melhor desempenho aos seus 31 anos.

– Não sabia dessa estatística, mas fico feliz por saber. Não é que a pontaria melhora. Com o passar do tempo, você ganha mais experiência, se posiciona melhor, sabe a hora de definir as jogadas. Isso ajuda a finalizar melhor – declarou, ao LANCENET!, o jogador que tem a média de 1,3 chute errado por jogo.

Os pés calibrados de Luis Fabiano não mostram a mesma desenvoltura dos santistas para dançar na hora de comemorar, mas ele não deixa de chamar atenção. Depois de tantos gols, Fabuloso mudou seu estilo de festejar.

Antes, corria para a torcida, vibrava com os companheiros e até tirava a camisa, agora a irreverência ganhou espaço. Depois da vitória sobre o Corinthians, as comemorações fabulosas viraram mania no São Paulo.

No último jogo, porém, ele passou em branco e a equipe só empatou com o Internacional. Para não perder outra chance de se aproximar do G4, o atacante sabe que o time não pode vacilar nem no SanSão, nem diante do Atlético-MG:

– Realmente se não vencermos os próximos dois jogos ficará muito difícil. Mas não pensamos nessa hipótese, vamos pensar em vencer.

Dos oito jogos em que Fabuloso marcou, o time ganhou seis. Tem gol, vitória e comemoração na Vila Belmiro?

Confira um Bate-Bola exclusivo com Luis Fabiano, via assessoria de imprensa:

Você continua zerado em cartões e lesões. Chegou a hora de embalar e jogar quase todas as partidas até o fim do Campeonato Brasileiro?
Espero que sim. Fizemos uma programação para que eu jogue até o final do ano sem nenhum problema. Espero que dê tudo certo.

A proposta do Qatar era tentadora para você e para o São Paulo financeiramente. Por que ambos não aceitaram? Acha que sai fortalecido com a torcida após ficar?
Desde o início deixei claro que não queria sair, repassei a proposta para o São Paulo mais por uma questão de respeito, de educação. Acredito que não era o momento de deixar o São Paulo, principalmente depois de todo o esforço que fiz para voltar. Em relação à torcida, acho que não muda nada, eu já me sinto apoiado.

São dez gols em 11 jogos do Brasileirão. Dá para manter essa média ou acha difícil? Sonha com a artilharia?
É difícil manter essa média, mas quero continuar fazendo gols, manter essa boa sequência. Artilharia, se vier, será uma consequência, não estou trabalhando para isso.

Lucas, na Seleção, está fora de mais este jogo. Qual a falta que ele fez para o time? Osvaldo será um bom substituto?
Sem dúvida, ele é um jogador importante e é claro que faz muita falta. Mas o Osvaldo tem entrado muito bem e dado conta do recado. Também confiamos nele.

Sem Lucas e Neymar, você já disse que quer ser protagonista. O que considera ser protagonista?
Não foi bem isso que eu disse. O que todos esperam de mim é que eu faça gols e consequentemente ajude a decidir os jogos. É isso que procuro fazer, não busco ser protagonista. Acredito que a equipe toda tem que ser protagonista, lutando, buscando a vitória como fizemos contra o Corinthians e Botafogo.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*