Mal no Brasileirão, Tricolor vê Copa do Brasil como principal meta do ano

O grande desempenho do São Paulo na Copa Libertadores contrasta com as atuações da equipe no Campeonato Brasileiro. Desde que chegou até as semifinais do torneio continental, o Tricolor tem tido um mau desempenho na competição nacional. De olho em uma vaga na Libertadores e sete posições atrás do G4, o clube já admite que a principal meta do ano é o título da Copa do Brasil.

“O que mostramos no começo do ano faz termos confiança no nosso elenco. Ficamos entre os quatro melhores times da América. Olhar para o lado e ver um parceiro que estava atuando em alto nível nos faz pensarmos que temos condição de evoluir”, avaliou Rodrigo Caio.

 

Desde que foi eliminado na Libertadores pelo Atlético Nacional, da Colômbia, no início de julho, o São Paulo venceu apenas um dos sete jogos que disputou pelo Brasileirão, tendo acumulado três empates e três derrotas. No mesmo período, o Tricolor foi comandado por três treinadores diferentes: Edgardo Bauza, André Jardine e Ricardo Gomes, que estreou no último final de semana. A inconstância faz o time ocupar a 11ª colocação, com 27 pontos, 13 a menos do que o líder Palmeiras.

“Quando saí daqui, estávamos devendo. Tivemos momentos instáveis no Brasileiro, na pausa da Libertadores, isso nos atrapalhou bastante. Pela qualidade do elenco, sabemos que poderíamos estar brigando lá na frente. Confio em todos aqui para mudar essa realidade. Começa agora a Copa do Brasil e temos o objetivo de vencer essa competição, que o time não tem”, observou o zagueiro do Tricolor, campeão olímpico com a Seleção Brasileira.

Para mudar a chave, o São Paulo já coloca foco total na Copa do Brasil, que começa na próxima quarta-feira para o clube. No Morumbi, o Tricolor receberá o Juventude, às 21h45 (de Brasília), pelo jogo de ida das oitavas de final da competição.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

2 comentários em “Mal no Brasileirão, Tricolor vê Copa do Brasil como principal meta do ano

  1. E quem disse q esse time tem condicoes de titulo só pode estar sonhando mesmo, o negocio é abrir bem os olhos pois a realidade mostra o Z4 muito proximo ,isso sim.

  2. Se o Ricardo ousar repetir o time que jogou domingo, mantendo Wesley, Michel Bastos, Carlinhos, corre o risco de ficar pelo caminho já no início da competição. Outra coisa: o João Schmith, a quem muito defendi, passou a jogar muito mal. Não sei se é por posicionamento em campo (orientação técnica) ou se “virou o fio” e se equilibrou na mesmice da maioria de seus companheiros. O RG deverá ter outro tipo de ousadia para vencer, bem, o Juventude no Morumbi; caso contrário correremos sérios riscos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*