Maicon e Denis também veem falta de comprometimento

Mesmo antes do jogo do São Paulo contra a Chapecoense, Rodrigo Caio já tinha criado polêmica no clube por dizer que faltou comprometimento do elenco em 2016. Depois da derrota para o time catarinense, neste domingo, o goleiro Dênis e o zagueiro Maicon concordaram com ele. Apenas o técnico Ricardo Gomes discordou.

Esse debate foi levantado porque a temporada do São Paulo tem sido desastrosa, com eliminações duras em três competições (Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Copa Libertadores) e uma situação delicada no Campeonato Brasileiro: o time não tem mais chances de se classificar para a Copa Libertadores de 2017 e ainda corre um risco mínimo de rebaixamento.

Por isso o goleiro Denis cobrou coragem dos companheiros: “é um ano para esquecer. Começou difícil e terminou difícil. Cabe a nós repensar o que estamos fazendo. Do jeito que está não pode ficar. Nosso time não pode jogar fora de casa como hoje. O que o Rodrigo falou é pura verdade. Não temos que nos esconder nos momentos difíceis. Como o Rodrigo disse, a gente tem que botar cara a tapa”.

Maicon hesitou mais, porém também concordou com o zagueiro do São Paulo: “cada um tem sua opinião, o Rodrigo Caio fez a reflexão dele sobre isso. Claro que, quando você não ganha e faz uma época como a nossa, é difícil manter a calma e a tranquilidade. Rodrigo Caio falou o que estava no coração dele, quando você não ganha é complicado, mas eu não acho que ele esteja errado”.

As declarações dos dois parecem fortes, mas não são tão bombásticas quanto o que Rodrigo Caio falou na última sexta-feira: “acho que falta comprometimento. A gente treina, o técnico pede para nós, pede para recompor, todo mundo se ajudar. Em alguns momentos entendemos que há desgaste físico, mas cada um tem de ter sua reflexão. Para um time vencer, todo mundo tem de se dedicar, se ajudar da forma que precisa. Por isso vivemos esse momento tão difícil”.

Realmente os números do São Paulo em 2016 são bem ruins, pois o clube tem 44,9% de aproveitamento, com 25 vitórias, 18 empates e 26 derrotas. Os números de Ricardo Gomes no São Paulo são ainda piores: ele tem 42,5% de aproveitamento, com cinco vitórias, cinco empates e oito derrotas.

Mesmo assim o técnico disse que não falta comprometimento, mas observou que é difícil fazer essa análise sem estar no clube desde o começo do ano:  “aí é muito mais para quem está desde o início do ano. Mas não acho que faltou comprometimento. Teve uma ressaca de Libertadores e depois tivemos boas e não boas partidas”.

 

Fonte: Uol

3 comentários em “Maicon e Denis também veem falta de comprometimento

  1. O Dênis é simplesmente RIDÍCULO. Não faz a parte dele com competência e ainda se julga no direito de cobrar os demais companheiros. RIDÍCULO como goleiro…chega! Basta! Fora Dênis já!!!!!!!!!!!

  2. Pelo jeito a diretoria do São Paulo não aprende mesmo! Será que vai ser necessário o time cair para essa direção mudar!? É fato, é notório que com alguns jogadores que lá se encontram não iremos para lugar nenhum em 2017. É preciso uma mudança radical, parar de passar a mão na cabeça de marmanjo como faz o MAC e passar a cobrar mais rispidamente sem exageros mas com mais afinco, afinal são profissionais pagos pelo clube e tem que darem resultado. Para isso deve-se adotar a política de contratar jogadores comprovadamente eficaz e parar de ficar pincelando, procurando Black Friday no mercado como se a torcida não fosse merecedora de um grande time. Rogério Ceni seria uma Boa pedida para começar bem a montagem de um grande time para 2017, pelo menos o elenco já iria respeitar o ídolo. Inteligente, Rogério saberia buscar o antídoto para acabar de vez com a fama de time amarelão.

  3. Fico besta de ver como esse nosso treineiro é medíocre. Pessoa sem pulso, falando a palavra certa, um BOSTA. Não é possível que essa diretoria ridícula não vê isso, ou finge que não vê. E para o nosso goleiro braço de boneca é muito mais fácil colocar a culpa nos outros do que assumir que sua incompetência no gol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*