Lugano volta à Libertadores após 10 anos em palco onde já foi herói

Jogos grandes. Na avaliação de muita gente no São Paulo, o desempenho da equipe nos considerados clássicos, ou partidas importantes, é que tem arranhado a imagem diante da torcida e da opinião pública. Jogo grande tem a cara de Diego Lugano, que se notabilizou por atuações elogiáveis contra adversários mais difíceis, tanto no clube quanto na seleção uruguaia.

Esse pode ter sido um dos motivos que levaram Edgardo Bauza a optar pela escalação do zagueiro ao lado de Maicon, além da experiência de ambos, mais rodados que o jovem Rodrigo Caio. Lugano volta a disputar uma Libertadores depois de 10 anos, e num lugar que traz ótimas lembranças.

Foi no Monumental de Nuñez que o uruguaio, em 2005, formando trio de zaga com Fabão e Alex, ajudou a classificar o São Paulo para a final do torneio contra o Atlético-PR. A vitória por 3 a 2 sobre o River Plate é tida até hoje como uma das melhores atuações tricolores no século. O tricampeonato viria na decisão, com direito à goleada diante do Furacão.

Em 2011, Lugano atingiu a maior glória como capitão de sua seleção ao erguer o troféu de campeão da Copa América, também no Monumental, após vencer o Paraguai por 3 a 0. Antes, nas quartas, o Uruguai havia eliminado a Argentina, dona da casa, com Messi, Tevez e companhia.

– No último jogo que disputei aqui fomos campeões da América pelo Uruguai, é uma lembrança boa. E no último jogo com o São Paulo, em 2005, vencemos a semifinal da Libertadores. Mas também houve derrotas, como em toda a vida, você ganha, empata e perde – afirmou Lugano, cujo discurso cuidadoso reflete seu papel no time, o de ser um exemplo vitorioso sem atrair para si os holofotes.

Lugano se despediu do São Paulo em 2006, na Libertadores, na final que acabou com o Internacional campeão. Agora, volta ao torneio que mais o identifica na idolatria da torcida. E reafirma o gosto pelo “jogo grande”, aquele no qual o Tricolor e seus jogadores costumam falhar.

– É um jogo que todo jogador quer jogar. Todos estão aptos e querem disputar um jogo como esse. Minha escalação significa o mesmo que a de qualquer outro jogador, são 11 querendo um bom resultado. Estamos mal na tabela, temos que buscar o resultado, eu e qualquer outro companheiro queremos fazer as coisas bem feitas.

São Paulo e River Plate se enfrentam às 19h30, em Buenos Aires, com transmissão do SporTV. O GloboEsporte.com acompanha em Tempo Real. A equipe brasileira não pontuou ainda no Grupo 1 da Libertadores, e precisa evitar que o River Plate, com três pontos, se distancie ainda mais. O líder é o The Strongest, com seis.

 

Fonte: Globo Esporte

2 comentários em “Lugano volta à Libertadores após 10 anos em palco onde já foi herói

  1. Esse mané do Denis pensa que pode ser o goleiro do SP, alguém avisa ele que não tem potencial suficiente para isso,ele e mais uns 10 desse elenco ridículo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*