Lugano diz que 2017 foi “o ano que o São Paulo se reencontrou”

Em abril o São Paulo se viu eliminado em três frentes: Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana. Restou apenas o Campeonato Brasileiro para o Tricolor Paulista tentar salvar o ano, mas a principal competição nacional só serviu para aumentar ainda mais as aflições dos torcedores, que tiveram de aguentar uma equipe flertando com o rebaixamento na maior parte das 38 rodadas. No fim, a 13ª colocação foi a pior da história do clube na era dos pontos corridos com 20 equipes, mas foi suficiente para manter o time na elite.

A reação dos jogadores e da comissão técnica no segundo semestre, o apoio incondicional da torcida nos piores momentos e a postura da diretoria em buscar reforços ‘de emergência’, como o caso das contratações de Hernanes, Marcos Guilherme e Petros, fez com que os são-paulinos, apesar do ano ruim, terminarem a temporada esperançosos e, de certa forma, orgulhosos. Quem explica é Diego Lugano, que pouco entrou em campo, mas pode ser considerado uma das importantes peças nessa retomada.

“A reflexão que fica é que esse ano complicado do São Paulo serviu para que a instituição se reencontre em si mesma. No momento mais difícil, mais complicado, mais dramático foi justamente quando o time, torcedores e até a diretoria se uniram, cada um assumindo sua posição e também os erros, mas se uniram para tirar o São Paulo dessa situação. Acho que isso também demonstra grandeza”, avalia o zagueiro uruguaio, que ainda estuda seu futuro e pode decidir se aposentar para assumir um cargo no clube em que se tornou ídolo de uma geração.

“Faz parte da vida da qualquer pessoa e de qualquer instituição, saber atravessar momentos complicados. Acho que o São Paulo de 2017 vai ser lembrado não como o ano que o time ficou próximo ao rebaixamento, e sim como um ano que o São Paulo se reencontrou em si mesmo, tirou sua essência do torcedor em nome de um ideal, que vai servir nos próximos anos com certeza para brigar por coisas importantes. Acho que esse ano vai ser lembrado como o ponto de reflexão para essa instituição”, conclui Lugano.

A lição foi dura, mas é ponto pacífico no clube que os mesmos erros não podem ser repetidos em 2018. A meta é fazer o São Paulo de novo protagonista na briga por títulos. Por isso, a diretoria espera ter um elenco forte e que não sofra um novo desmanche, como acontecera esse ano e acabou sendo apontado até pelos atletas como o maior motivo do time ter demorado tanto a engrenar.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*