Leco, Raí e Aguirre se reúnem para analisar razões da queda

O São Paulo está atrás de respostas para a derrocada do time no segundo turno do Brasileirão. Por isso houve uma reunião entre presidência, cúpula do futebol e o técnico Diego Aguirre, na última segunda-feira, no Morumbi.

Participaram do encontro o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, o diretor executivo de futebol Raí, o gerente Alexandre Passaro, o próprio Aguirre e o assessor da presidência Marcio Carlomagno.

Isso não significa, no entanto, um risco de demissão do treinador, algo sequer colocado em pauta neste momento no São Paulo.

A ideia da reunião era saber do próprio Aguirre um diagnóstico para a queda de rendimento e entender quais são as maiores dificuldades do momento.

O tom da conversa não foi de cobrança, mas sim uma espécie de reflexão geral do São Paulo para encontrar os erros e entender em quais pontos o clube como um todo poderia melhorar para tentar retomar o topo. O sinal vermelho foi ligado por uma avaliação negativa na postura da equipe nas derrotas para Palmeiras (2 a 0) e Internacional (3 a 1).

Há uma corrente no São Paulo que defende uma maior carga de trabalho para todos no CT da Barra Funda, incluindo elenco, comissão técnica e dirigentes. Nesse sentido a ideia seria uma doação geral maior para tentar voltar à liderança.

– No momento desafiador, e já passei por vários na minha carreira como jogador e estou passando por um agora, você tem de pensar em todos os detalhes. Quando as coisas estão dando certo, tudo sai mais fácil. Quando não estão dando certo, tem de pensar em todos os detalhes e cada um melhorar um pouco mais: os jogadores, a comissão técnica, a diretoria. Eu sou o maior responsável disso, da situação hoje em dia, e continuo confiante. Melhorando o trabalho, o que você acha que pode melhorar, vai recuperando a confiança. Com os resultados, as coisas voltam ao normal – disse Raí, na última terça-feira.

Trata-se de uma questão subjetiva, embora o desfalque de Everton seja um ponto unânime como uma das principais razões, mas não a única.

Nos bastidores do São Paulo há correntes que acreditam na possibilidade do título e outras que enxergam a taça como um sonho muito difícil.

De qualquer maneira, existe uma descrença de que o time possa reverter a vantagem de sete pontos do rival e líder Palmeiras nas nove rodadas finais.

O Tricolor concentra esforços para ao menos conseguir uma vaga direta na Libertadores, entre os quatro melhores colocados. O raciocínio é de que não ter um lugar garantido na fase de grupos da competição sul-americana afetaria muito o planejamento de 2019.

O objetivo imediato é vencer o Atlético-PR, sábado, às 19h, no Morumbi, para diminuir a desconfiança dentro e fora do São Paulo.

Para este duelo, inclusive, Aguirre fará mudanças na equipe titular. Duas trocas são obrigatórias: Bruno Peres e Anderson Martins estão suspensos. Rodrigo Caio, Arboleda e Araruna (recuperado de contratura) são os candidatos para esses dois lugares, sendo os dois primeiros favoritos.

Everton continua fora com um estiramento na coxa esquerda. Além disso, outras mudanças deverão ser feitas. O meio de campo poderá sofrer alterações, pois a transição da equipe da defesa para o ataque tem sido considerada lenta. Luan, de volta da seleção sub-20, é um dos candidatos a ter chance. Tréllez e Gonzalo Carneiro também brigam por vagas.

6 comentários em “Leco, Raí e Aguirre se reúnem para analisar razões da queda

  1. Boa noite tricolores!!
    Reuniões são necessárias sempre e não só quando a coisa está dando errado, na verdade derrotas para o Palmeiras, Inter, Grêmio, Flamengo, Cruzeiro e Curicas não deveriam ser encaradas como o fim do mundo, essa reunião deveria ter acontecido quando não vencemos Paraná, América, Fluminense, Botafogo esses resultados sim eram o indícios de que algo não estava bem, então, estão dando o remédio depois que o doente morreu, agora vamos todos chorar o leite derramado

    • Nem li a reportagem , pensei a mesma coisa qndo li somente o título…..podia ter feito reunião la atrás qndo empatou com o fluminense depois de ter empatado com Paraná e suado sangue pra ganhar do Ceará….agora que façam reunião pra decidir 2019….Esse ano já era !!

  2. Lamentável ver nosso amado tricolor nessa situação..saudades daquele time guerreiro que brigava por títulos..ate quando nossa diretoria será assim medíocre? Comissão técnica fraca..e o elenco? Um bando de mercenários que jogam pelo dinheiro e não pelo manto do São Paulo..#vergonha

  3. As coisas começaram a dar errado quando o Sr.Aguirre botou o Jardine na geladeira e entregou-se aos palpites e opiniões de seu auxiliar uruguaio! No começo do trabalho, sempre que o time tinha necessidade de mudanças ele conversava com o Jardine que o informava das possibilidades dos jogadores que subiram da base e indicava qual poderia solucionar o problema. Tempo depois, com o sucesso alcançado pelo trabalho conjunto e uso da base, pouco a pouco o Jardine foi encostado longe do “comitê” decisório e deu nisto. A garotada não serve mais – estão crus – e o Jardine fica no meio da turma com cara de paisagem, já que nunca é solicitado a colaborar. Isto é que ocorreu com o trenero: ele acabou ficando entre os “cobras criadas” (Nenê, Diego Souza, Sidão e até o Reinaldo) que passaram a, meio que, participar do tal comitê decisório, e de seu amigo e parceiro de treinamento (nem sei o nome do cara, mas o vejo sempre falando no ouvido do Aguirre), que parece pouco conhecer dos jogadores.
    Junta-se a tudo isto, a panelinha que parece que o treinador formou, cujos membros continuam na titularidade mesmo sem jogar bem; a falta de confiança demonstrada quando não usa o reserva imediato e prefere deslocar um membro da tal panela para a função, sempre com prejuízo nas duas posições, e está formado o caldo de cultura que terminou pela perda do respeito ao treinador nos vestiários (lógico que o Raí tem que falar que não é isto não) e uma das piores performance do segundo turno!!!

  4. RESUMO DA QUEDA:PREPARO FÍSICO MEDÍOCRE,FALTA PREPARADOR FÍSICO,DEPARTAMENTO MÉDICO INEFICIENTE(RIDÍCULO O CASO DO EVERTON),TÉCNICO FRACO,COLOCA JOGADORES SÓ NA FOQUEIRA,DETESTA JOGADORES DA BASE,COMISSÃO TÉCNICA QUE PARECE A ESCOLINHA DO PROFESSOR RAIMUNDO,DA DÓ.LECO VC É O PAI DA CRIANÇA,TÁ NA HORA DE METER O PÉ NA BUNDA DESTES CARAS,É UMA DAS PIORES COMISSÃO TÉCNICA DOS ÚLTIMOS ANOS.DOIS TORNEIOS JÁ FORAM PRO SACO,E AGORA MAIS UMA A VISTA,LAMENTÁVEL,TORCIDA VAMOS MANDAR UM CAMINHÃO DE VAI NO PRÓXIMO JOGO,E GRITAR POR UM NOVO TÉCNICO,EXEMPLO JOEL SANTANA,PORQUE MURICY JÁ ERA !!!!

  5. Eu sou são Paulino mais com esse futebolzinho aí o São Paulo não classifica nem para pré libertadores da América. Isso é muito triste…pra mim o culpado de tudo é o Diego Aguirre fazendo essas improvisações dele…pq improvisar um atleta de outra posição quando se tem um atleta da própria posição. Pra mim isso é burrice. Então pra mim o culpado é o Diego Aguirre…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*