Kaká: 13 anos dedicados ao Tricolor

Neste domingo (6), no Morumbi, Kaká escreverá mais um capítulo de sua história no Tricolor ao ser apresentado como reforço do clube para a sequência da temporada. Mas a trajetória do atleta no São Paulo começou ainda na infância, quando iniciou a sua primeira passagem na equipe são-paulina.

Levado por seus pais, Bosco e Simone, Kaká frequentou desde pequeno a sede social do São Paulo Futebol Clube. Desde seus oito anos de idade, quando ainda tinha o apelido com C e não com K, o jovem talento passava boa parte de seu tempo na área social do clube, situada no bairro do Morumbi.

Desfrutava das piscinas, das quadras, do complexo de lazer e principalmente, do campo de futebol. Desfilava sua técnica nos campos do clube e sua qualidade era cada vez mais reconhecida fora deles também.

Quando seu talento já não cabia mais nos campos da sede social, Kaká deu início a uma nova trajetória em sua vida, migrando para as categorias de base do clube, mais precisamente no dente de leite. Sua ascensão foi uma questão de tempo. Dente de leite, infantil, juvenil e júnior, até chegar ao profissional.

De menino magrinho e franzino passou a jogador alto e forte, graças ao trabalho multidisciplinar feito no clube. Superou um difícil acidente em 2000, quando numa visita aos avós paternos, em Caldas Novas, desceu num escorregador de piscina e quando caiu na água, bateu a cabeça no fundo da piscina, fraturando uma vértebra.

Na ocasião, os médicos diziam que o atleta tinha muita sorte por ainda poder andar normalmente. Mas para Kaká e toda sua religiosidade, aquilo era fruto de proteção divina. E assim, sempre com muita competência, qualidade e fé, Kaká chegou aos profissionais. Sua estreia foi no Morumbi, pelo Torneio Rio-SP, num empate por 1 a 1 com o Botafogo, no dia 1º de fevereiro de 2001.

Seu primeiro momento como uma verdadeira estrela, porém, foi pouco mais de dois meses depois, contra o mesmo Botafogo, no mesmo palco. No dia 7 de março, Kaká entrou em campo na decisão do Rio-SP e viu pela primeira vez o Morumbi se render ao seu talento.

Colocado por Oswaldo Alvarez, o Vadão, o jogador entrou na segunda etapa e fez os dois gols do São Paulo na vitória por 2 a 1 sobre o clube carioca, dando o inédito título ao Tricolor. Quis o destino que após 131 jogos e 48 gols, Kaká deixasse a sua casa, o São Paulo, e migrasse para o poderoso Milan, em 2003. Agora, 11 anos depois, o craque poderá escrever mais um capítulo de sua história são-paulina.

 

Fonte: Site Oficial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*