Juvenal repete Ceni e se diz preocupado em repôr saída de Lucas

A ausência de Lucas na equipe do São Paulo na próxima temporada deverá tirar o sono de torcedores e dirigentes do clube. A começar pelo presidente Juvenal Juvêncio, que admitiu em entrevista exclusiva ao UOL Esporte que está preocupado em conseguir repôr a saída de seu principal jogador neste ano.

“Isso me preocupa sempre, não tenha dúvida. O Lucas é um jogador raro. Não se acha outro como ele a todo momento. E ele é raro também como cidadão. Uma pessoa de altíssimo nível, um jogador excepcional”, afirmou o dirigente, sem esconder a admiração pelo camisa 7, negociado com o Paris Saint Germain, da França.

No fim de novembro, quando a equipe paulista conseguiu a vaga para a decisão da Copa Sul-Americana, o goleiro Rogério Ceni foi outro que admitiu preocupação com a negociação do meia/atacante. Para o capitão, o jogador representava cerca de 40% do São Paulo na temporada.

“O Lucas hoje vale 40% do nosso time. Com ele em campo, todos somos coadjuvantes. É um caso seríssimo para se pensar para 2013. Espero que a gente consiga compensar de alguma maneira”, afirmou o goleiro à época.

Após a conquista da Sul-Americana, na quarta-feira, a diretoria do São Paulo se movimenta agora para reforçar e anunciar as contratações para o ano que vem.

“Eu vou tentar repôr [o Lucas], claro, mas sinceramente não tenho o nome ideal ainda. E não que eu ache que não temos alguém no nosso plantel para suprir a saída do Lucas. Temos, sim. Mas estou olhando isso com rigor. É um desejo meu”, completou o presidente. Juvenal descartou ainda a possibilidade de contratar apenas jogadores sem contrato, que chegariam de graça ao São Paulo.

“Nunca tivemos essa política de contratar somente de graça. O São Paulo quer é pagar barato. Temos competência de procurar jogadores em situações especiais. O que nos seduz é o talento, não o preço. Mas é claro que se você tem duas situações de jogadores com talentos semelhantes, e um deles tem contrato por mais três anos e o outro está findando o contrato, é melhor pegar este que está no fim, sem dúvida”, declarou o dirigente.
Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*