Jogadores voltam a cobrar mais solidariedade em campo no São Paulo

Ao ver Mazinho, de 1,65m, fazer de cabeça o golque selou o empate entre Palmeiras e São Paulo, Rhodolfo deixou a Arena Barueri cobrando mais solidariedade do time em campo. Quase 24 horas depois do jogo, Denis foi escolhido pela assessoria de imprensa do clube a dar entrevista coletiva. E concordou com o zagueiro.

“Cada jogador tem que olhar para o lado e ajudar o companheiro. Precisam ajudar mais quando o companheiro não está bem na partida”, indicou o goleiro, colocando o maior empenho em prol do colega como solução para os problemas.

“Futebol é em equipe. Se cada um ajudar, com certeza os erros e gols até bobos que temos tomado não acontecerão mais”, afirmou o camisa 22, solicitando melhora já para esta quarta-feira, contra o Vasco, no Morumbi. “Deixamos acontecer. Agora é trabalhar para corrigir.”

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Rafael Toloi cumprimenta Denis, que pegou pênalti cometido por ele: sensação é de que falta companheirismo

Apesar de todos os atletas defenderem Ney Franco, a solidariedade pedida serviria para fechar os espaços deixados pelo esquema do estreante técnico. Como fazia (e recebia críticas) Emerson Leão, o novo treinador deixou o time sem nenhum volante marcador, acreditando em Denilson, que passou cinco anos na Inglaterra como segundo volante, e contando com a ajuda de Casemiro e Cícero, que atuaram de forma ainda mais solta do que faziam com Leão.

 

Na parte tática, entretanto, os jogadores preferem não se envolver publicamente. O fato de, em vez de ter Denilson, Casemiro e Cícero alinhado como Leão, tê-los em um losango com Jadson na ponta mais ofensiva, é minimizado. Mas ficou claro como o Palmeiras, mesmo desfalcado e com um a menos desde o início do segundo tempo, soube explorar os espaços à frente da zaga.

“É difícil falar o que mudou em uma partida, após uma semana de trabalho. Mas o posicionamento mudou, tanto que fizemos um primeiro tempo como tinha que ser feito. Nós nos perdemos no segundo tempo, demos muito espaço para o contra-ataque e eles colocaram jogadores rápidos para aproveitar isso”, constatou Denis.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*