Jejum de Kardec é o maior o atacante em 2014, e coincide com queda do SP

Atacante do São Paulo, Alan Kardec tem uma média de gols bastante respeitável na temporada: em 36 jogos, balançou as redes 16 vezes – média de 0,44 gol/jogo. Atualmente, porém, vive seu maior jejum em 2014 – não marca há seis partidas. A interrupção nos seus gols coincide com a queda de rendimento de sua equipe nos últimos jogos.

Contratado a peso de ouro do Palmeiras (R$ 14 milhões), Kardec chegou ao São Paulo com a boa marca de 10 gols, em 17 jogos pelo rival – não ficou mais do que três jogos seguidos sem balançar as redes. O começo no Morumbi foi excelente: marcou quatro vezes nas primeiras seis em que esteve em campo.

Nesta quarta-feira, diante do Atlético-PR, o atacante irá a campo com uma marca de seis jogos sem fazer gols – seu maior jejum na temporada. O último foi na vitória diante do líder Cruzeiro – justamente a última partida da boa arrancada do time no Brasileirão, que teve sete empates e uma vitória em oito jogos.

Depois da partida diante do Cruzeiro, o São Paulo perdeu três jogos e empatou no Brasileirão. Na última semana, conseguiu uma leve recuperação, vencendo o Huachipato (CHI), pela Sul-Americana, e o Grêmio, pelo Brasileirão – em todos estes jogos, Kardec esteve em campo, mas passou em branco.

Outro fator que coincide com a “seca” do atacante é a volta de Luis Fabiano. Depois de um longo período lesionado, o camisa 9 retornou justamente contra o Coritiba. Foi titular contra o Corinthians e Huachipato, e entrou no decorrer dos jogos contra o clube paranense, Flamengo e Fluminense. Em nenhuma dessas partidas Kardec encontrou o caminho do gol.

Nesta quarta, diante do Atlético-PR, o camisa 14 pode ter seu reencontro com as redes dificultado. Como não conta com Kaká, Muricy Ramalho pode escalar o centroavante no meio de campo, ao lado de Ganso, e promover a entrada de Luis Fabiano no ataque, com Pato.

Fora de campo, Kardec acabou sendo o pivô de uma ruptura entre as diretorias dos dois clubes. O presidente alviverde, Paulo Nobre, trocou farpas publicamente e cortou relações com o mandatário são paulino Carlos Miguel Aidar, que o chamou de “juvenil”.

 

Fonte: Uol

Um comentário em “Jejum de Kardec é o maior o atacante em 2014, e coincide com queda do SP

  1. Vamos no popular: mesmo tendo marcado em 4 das 6 primeiras rodadas em que entrou, ele, Kardec, tem sido o mais fraco dos atacantes do tricolor, excluindo o LF. Tem jogado muito pouco pelo que se esperava dele e pelos elogios que o técnico lhe tem feito. Tem se dedicado, mas tem dificuldade de ajudar na marcação e se apresentar “inteiro” no ataque. Está devendo. Espero que comece a quitar seu débito na partida de hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*