Jean não atinge meta, e São Paulo se livra de gastar R$ 4 milhões

O São Paulo não pagará mais R$ 4 milhões pela contratação do goleiro Jean, feita no fim de 2017. Como foi reserva na maior parte dos jogos desde então, o atleta não cumprirá a meta estabelecida em contrato que previa um gasto extra por parte do clube do Morumbi.

No acordo feito com o Bahia, o Tricolor pagou R$ 6 milhões por 75% dos direitos econômicos do atleta. Na ocasião, também ficou acertado a aquisição dos 25% restantes caso o arqueiro participasse como titular de 60% das partidas entre janeiro de 2018 e junho de 2019.

Jean, no entanto, passou longe de alcançar esse número. Em um total de 97 jogos disputados pelo São Paulo no período acima, o goleiro atuou como titular em apenas 20% deles (20 partidas). Para efeito de comparação, ele precisaria ter feito 59 jogos nessa condição para atingir a meta estabelecida em contrato.

Em 2018, Jean passou a maior parte do tempo na reserva de Sidão, com quem teve problemas de relacionamento por causa de um vídeo publicado pelo ex-colega nas redes sociais. Na época, a comissão técnica teve que interferir para o ambiente se manter saudável entre os goleiros.

Neste ano, o camisa 1 viu Tiago Volpi assumir a titularidade, condição obtida por Jean em apenas dois jogos na temporada, sendo um deles na Copa Flórida. Com a volta de Lucas Perri, ele ganha mais um concorrente pelo posto de primeiro reserva do Tricolor.

Em março, Jean protagonizou seu episódio mais polêmico no São Paulo ao abandonar uma reunião entre elenco e comissão técnica no campo do CT da Barra Funda. Posteriormente, usou as redes sociais para criticar o então técnico interino Vagner Mancini.

O caso de indisciplina rendeu multa e um afastamento, que acabou somente após a chegada de Cuca e um pedido de desculpas a Mancini, a quem abraçou durante um treino. Jean, de 23 anos, tem contrato com o Tricolor até dezembro de 2022.

Seja como for, a não obrigatoriedade em gastar mais R$ 4 milhões vem em boa hora ao São Paulo, que passa por dificuldades financeiras, expressas no atraso do pagamento de direitos de imagem de alguns atletas. Além disso, o clube liberou jogadores considerados caros, como Nenê, Jucilei e Bruno Peres.

Fonte: Gazeta Esportiva

4 comentários em “Jean não atinge meta, e São Paulo se livra de gastar R$ 4 milhões

  1. Caro demais. Parabéns aos envolvidos! Se fosse apenas nesta contração não seria tão grave. O problema é que este tipo de situação ver se tornando corriqueira. Gastar caro em jogador comum.
    #ForaLeco

  2. Contratações inexplicáveis:
    Diego;
    Bruno Peres; Anderson Martins; Victor Bueno; Everton Felipe; Igor Vinícius; Gonçalo Carneiro; Calazans; Léo Pelé; Willian Farias; Diego Souza.
    Contratações, até explicáveis, que não vingaram e com salários altíssimos para o que jogam:
    Nenê e Hernanes.
    Quem se arrisca a dizer quanto pesa na folha de pagamento tanto jogador ruim e quanto foi gasto com verbas para pagamento pelas liberações; luvas; comissões de empresários e procuradores; e por aí vai?
    Um time com dirigentes capazes de fazer tanta lambança não deve ter futuro nenhum!!!

  3. Outro erro imperdoável dessa diretoria incompetente. Goleiro comum… igual, ou pior, que os meninos que vieram da base. Como tem sido praxe, mais um punhado de milhões despejados no ralo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.