Irregular o ano todo, São Paulo vive de pequenos respiros e quedas para rivais

A goleada sofrida para o Santos fez o São Paulo voltar a sofrer com críticas da imprensa, da torcida e até de Juan Carlos Osorio. A maior reclamação é contra a irregularidade do Tricolor, mas levantamento do LANCE! mostra que oscilar não é exclusividade do trabalho do colombiano. Em 2015, a equipe conseguiu emplacar poucas sequências invictas, com no máximo seis partidas de duração. E seis destas séries foram interrompidas justamente em clássicos. Seja no Paulistão, na Libertadores ou no Brasileirão, com elenco completo ou pós-desmanche, o time deste ano tem sido irregular desde 1º de janeiro.

1ª série invicta – Muricy Ramalho – Cinco jogos:
Penapolense, Capivariano, XV de Piracicaba, Santos e Bragantino, todos pelo Campeonato Paulista. Equipe não perdeu de 1º a 18 de fevereiro, quando caiu por 2 a 0 para o Corinthians na Copa Libertadores da América, em Itaquera.
Escalação na derrota: Rogério Ceni, Bruno, Rafael Toloi, Dória e Michel Bastos; Denilson, Souza, Maicon e PH Ganso; Alan Kardec e Luis Fabiano.

2ª série invicta – Muricy Ramalho – Três jogos:
Osasco Audax, Danubio (URU) e Rio Claro, dois pelo Paulistão e um pela Libertadores. São Paulo ficou invicto de 21 de fevereiro a 8 de março, quando perdeu por 1 a 0 para o Corinthians no torneio estadual.
Escalação na derrota: Rogério Ceni, Bruno, Rafael Toloi, Edson Silva e Reinaldo; Denilson, Souza e PH Ganso; Michel Bastos, Centurión e Luis Fabiano.

3ª série invicta – Muricy Ramalho – Quatro jogos:
São Bento, Ponte Preta, San Lorenzo (ARG) e Marília, três pelo Paulistão e um pela Libertadores. A série foi feita entre 18 e 25 de março, quando perdeu por 3 a 0 para o Palmeiras pelo torneio estadual.
Escalação na derrota: Rogério Ceni, Bruno, Rafael Toloi, Lucão e Carlinhos; Denilson, Hudson e PH Ganso; Michel Bastos, Alexandre Pato e Alan Kardec.

4ª série invicta – Milton Cruz – Três jogos:
Portuguesa, Red Bull e Danubio (URU), dois pelo Paulistão e um pela Libertadores. Tricolor manteve-se invicto de 8 a 19 de abril, quando perdeu por 2 a 1 para o Santos na semifinal do Estadual.
Escalação na derrota: Rogério Ceni, Paulo Miranda, Rafael Toloi, Lucão e Carlinhos; Denilson, Hudson, Wesley e PH Ganso; Michel Bastos e Alexandre Pato.

5ª série invicta – Milton Cruz – Três jogos:
Corinthians, Cruzeiro e Flamengo, dois pela Libertadores e um pelo Brasileirão. De 22 de abril a 13 de maio, quando foi eliminado pelo próprio Cruzeiro nas oitavas de final do torneio continental.
Escalação na derrota: Rogério Ceni, Bruno, Rafael Toloi, Lucão e Reinaldo; Denilson, Souza, Wesley e PH Ganso; Michel Bastos e Alexandre Pato.

6ª série invicta – Milton Cruz/Juan Carlos Osorio – Seis jogos:
Joinville, Internacional, Santos, Grêmio, Chapecoense e Avaí, todos pelo Campeonato Brasileiro. Invencibilidade perdurou de 23 de maio a 28 de junho, quando perdeu para o Palmeiras por 4 a 0 também pelo torneio nacional.
Escalação na derrota: Rogério Ceni, Bruno, Rafael Toloi, Dória e Carlinhos; Hudson, Souza e PH Ganso; Michel Bastos, Alexandre Pato e Luis Fabiano.

7ª série invicta – Juan Carlos Osorio – Três jogos:
Fluminense, Vasco da Gama e Coritiba, todos pelo Brasileirão. A sequência durou de 5 a 19 de julho, quando perdeu do Sport por 2 a 0 também pelo Nacional. Escalação na derrota: Rogério Ceni, Rafael Toloi, Lucão e Edson Silva; Thiago Mendes, Rodrigo Caio, Hudson, PH Ganso e Michel Bastos; Centurión e Alexandre Pato.

8ª série invicta – Juan Carlos Osorio – Quatro jogos:
Ceará, Ponte Preta, Joinville e Internacional, um pela Copa do Brasil e três pelo Brasileirão. Invencibilidade foi sustentada 26 de agosto a 9 de setembro, quando foi goleado pelo Santos por 3 a 0 na 24ª rodada da Série A.
Escalação na derrota: Renan Ribeiro, Bruno, Lyanco, Edson Silva e Reinaldo; Thiago Mendes, Hudson e PH Ganso; Wilder, Rogério e Alexandre Pato.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*