Interessado em ajudar o Bom Senso, Kaká vê futebol alemão como exemplo

De volta ao Brasil depois de 11 anos na Europa, Kaká vê a necessidade de uma reestruturação no futebol brasileiro. Em sua apresentação no São Paulo, no último domingo, o meia demonstrou interesse em participar do Bom Senso FC, movimento criado por Paulo André (hoje no futebol chinês), e liderado atualmente por Fernando Prass, Dida, Alex, Juan e Rogério Ceni. O grupo formado por jogadores de diversos clubes brasileiros reivindica melhoras para a classe e também para a modalidade no país.

O fim do Campeonato Brasileiro do ano passado ficou marcado por manifestações dos atletas em campo antes das partidas, que cruzavam os braços, sentavam no gramado, ou tocavam a bola durante um minuto como forma de protesto. O principal pedido do movimento à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) é a reformulação do calendário.

Com base no que viveu nos últimos anos, Kaká acredita que além do calendário é preciso apostar em uma melhor formação dos técnicos e também ter um planejamento, não se apegando apenas aos resultados imediatos. O meia, que jogou pelo Milan (ITA) na última temporada europeia, citou o futebol alemão para exemplificar essa organização desejada. O jogador não deixou de dizer que o Brasil continua revelando bons jogadores, mas ressaltou que é preciso achar uma forma melhor de preservar isso.

 – De uma forma geral, o futebol brasileiro precisa de uma reformulação. Precisa de calendário, dos técnicos com uma melhor formação. Lá na Europa, o técnico precisa ser formado, aqui não. No futebol exterior isso pesa. O futebol alemão poderia ser um bom exemplo. Aqui no Brasil se prende em imediatismo. Isso faz com que o treinador não tenha um planejamento. O futebol brasileiro pode crescer, mas precisa de uma reformulação e de uma reorganização – disse Kaká.

Quanto ao Bom Senso, o jogador enfatizou a importância do movimento e afirmou que já conversou com os “líderes”. Com vontade de participar, Kaká disse que antes de se posicionar irá estudar e entender o que pode ser feito para melhorar o futebol no Brasil.

– Não me posicionei porque estava fora e quero entender melhor como funciona tudo isso. A princípio, acho uma ótima ideia. Não é voltada só ao atleta, é ao espetáculo. Aquilo que entendi até agora é em relação a isso. Estão de olho na melhoria do espetáculo. Claro que agora no Brasil vou poder estar mais perto. Quero entender o que poderia ser feito pela melhoria do futebol brasileiro pelo talento que pessoas que têm. Quero me informar, estar por dentro e assim me posicionar – completou.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*