Henri Castelli relata mensagens com ofensas de dirigentes do São Paulo

As  consequências da invasão do Centro de Treinamento do São Paulo por integrantes de uma torcida organizada, no sábado, em que ocorreram agressões a jogadores e roubo de material esportivo, parecem estar longe de ter um final. Ameaçado de processo pela direção do clube, que o acusa de incentivar os protestos violentos dos torcedores, o ator Henri Castelli se defendeu em um texto publicado no GloboEsporte.com e falou no Seleção SporTV sobre o episódio. No programa, Castelli relatou ter sofrido ameaças de dirigentes do São Paulo por mensagens de celular. Inclusive, com ofensas homofóbicas .

Henri Castelli, com camisa do São Paulo (Foto: reprodução / Instagram)Henri Castelli afirma ter mensagens com ofensas de diretores tricolores (Foto: reprodução/Instagram)

– Só acho engraçado que recebi, em grupos de whatsapp de diretores do São Paulo, eu tenho essas mensagens, vocês podem usar em matérias, me xingando, me ameaçando, falando que sou homossexual e o caramba. Isso não me atinge. Agora, eles podem me falar que eu sou “viado” né? Atingindo de uma forma moral e eu fiquei quieto, não movi nenhuma ação contra isso. Agora, se eu falei alguma coisa demais e alguém se ofendeu, se a carapuça serviu, não posso fazer nada. Eu também fui atingido. Eu dei minha opinião. Não falei de determinadas pessoas especificamente – afirmou Henri Castelli.

Torcedor fanático do clube, o ator acrescentou que, apesar das diferenças com a atual direção do São Paulo, está em constante diálogo com o presidente do Tricolor Paulista.

– Inclusive, o Leco sabe. Eu falo com ele por telefone, pelo whatsapp, ele sabe que já ofereci minha ajuda a hora que ele quisesse. Se quiser sentar, conversar, trocar ideia para a melhoria do clube, eu não quero cargo. Posso estar lá para ajudar no que precisar de mim, porque gosto do clube – afirmou Castelli, por telefone.

Questionado se o protesto da torcida tricolor, da maneira como ocorreu, seria a melhor solução para livrar o São Paulo dos maus resultados em campo, Henri Castelli reforçou o direito à livre manifestação, porém, condenou os atos violentos. O ator afirmou ter informações que não houve invasão da propriedade, já que os portões estariam abertos, e pediu mais esclarecimentos à diretoria tricolor.

Invasão torcida São Paulo CT Barra Funda (Foto: Rafael Arbex/Estadão Conteúdo)Centenas de torcedores do São Paulo invadem ao CT da Barra Funda (Foto: Rafael Arbex/Estadão Conteúdo)

– Não concordo com essa coisa de entrar no campo, até porque é o espaço de trabalho. Não concordaria com críticos de televisão entrarem dentro do estúdio para me criticar. Acho que o ambiente de trabalho deve ser preservado. Agora, fiquei surpreso, porque eu estava trabalhando neste dia, não conseguiria ir até lá, mas o que ouvi de gente que estava lá, gente séria e que não está falando bobagem, dizendo que os portões estavam abertos – disse o ator.

– É muito estranho, será que alguém abriu o portão? Não teve arrombamento de cadeado, ninguém pulou muro, a polícia estava lá e ninguém foi preso. Agora, a manifestação era para acontecer do lado de fora. Dentro é errado, não era para ter acontecido isso. Mas, quem abriu o portão? Não tem imagem de ninguém forçando o portão para entrar. Então, acho que a diretoria deveria esclarecer isso também – concluiu.

 

Fonte: Globo Esporte

3 comentários em “Henri Castelli relata mensagens com ofensas de dirigentes do São Paulo

  1. Boa Henri Casteli, a diretoria incompetente , faltou prevenção de segurança, lá tem um diretor de futebol que é especialista em segurança já que ele de futebol não entende nada porque esta uma merda, pelo menos poderia ter usado seu conhecimento como empresario do ramo de segurança e prevenido a invasão, deixa estes diretores amarelões chorarem na cama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*