Ganso, Rodrigo Caio, Cueva… Saiba como São Paulo vê próxima janela

Depois de um 2017 marcado por intensa troca no elenco, o São Paulo já convive com rumores sobre vendas e contratações na principal janela internacional de transferências, com movimentação que deve se intensificar ainda durante a Copa do Mundo. Mas a promessa da diretoria é de mais equilíbrio, tanto nas saídas quanto nas chegadas.

A busca por reforços tem, a princípio, o lado financeiro como um dos primeiros pontos a serem considerados, já que é uma política do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva zerar a dívida, atualmente de R$ 93 milhões, até o final da gestão, em 2020. Ao mesmo tempo, os dirigentes não escondem a necessidade de negociar jogadores para encher os cofres.

Nesse cenário, o LANCE! aponta o que pensa o Tricolor sobre os principais casos já comentados a respeito do clube na janela de transferências:

Paulo Henrique Ganso – Situação: monitoramento
Comprado pelo Sevilla por 9,5 milhões de euros (R$ 34,4 milhões na época) em julho de 2016, o meia pouco teve oportunidades nas duas temporadas no time espanhol. O seu caso é acompanhado de perto pela diretoria do São Paulo, mas a situação atual não passa de um monitoramento. E não há grande esperança hoje no clube de que esse quadro se alterará em breve.

Por mais que a qualidade e a identificação do jogador de 28 se encaixem no perfil que Raí, diretor executivo de futebol, deseja, o entrave é financeiro. O Tricolor chegou bem próximo ao orçamento traçado como limite para contratações com a recente chegada do atacante Everton, por R$ 15 milhões. Como Ganso pede alto, o Sevilla não deve ser procurado tão cedo.

Rodrigo Caio – Situação: aguardando ofertas
Há um consenso entre representantes do zagueiro e a diretoria de que chegou o momento de sua negociação. Os dois lados têm recebido indicações de que uma oferta, ao menos, próxima da multa rescisória de 18 milhões de euros (R$ 78 milhões), mesmo sem a presença do jogador na Seleção Brasileira que vai para a Copa do Mundo.

Foram retomados no São Paulo os rumores em relação ao Real Sociedad. No começo do ano, o clube espanhol se mostrou disposto a arcar com os 18 milhões de euros. Na época, a negociação não andou somente por opção de Rodrigo Caio, que preferiu seguir no Brasil para ter mais chance de ser chamado por Tite. Agora, o defensor de 24 anos está mais disposto a mudar de ideia e se tornar uma das vendas necessárias no cofre tricolor.

Cueva – Situação: analisando ofertas
Apesar da cautela nas declarações públicas dos dirigentes, já é dado como quase certo que a despedida do camisa 10 no São Paulo foi com a expulsão na vitória por 1 a 0 sobre o Rosario Central, na semana passada. O peruano foi liberado para acompanhar o nascimento do filho e antecipar sua preparação para a Copa do Mundo. Será uma surpresa se voltar da Rússia para treinar no CT da Barra Funda.

Os dirigentes se mostram abertos a ofertas e analisam interesses, na expectativa de conseguir cerca de 8 milhões de euros (quase R$ 35 milhões). Neste ano, já ocorreram sondagens da Rússia, uma oferta de 7 milhões de euros (R$ 27,8 milhões na época) do Al-Hilal, da Arábia Saudita, e a mais recente proposta oficial veio da China, com valor superior, mas forma de pagamento que não agradou ao próprio jogador. Há sinais de que movimentações nesses valores chegarão.

Lucas – Situação: apenas um sonho
Em janeiro, uma das primeiras ações de Raí como direto executivo de futebol foi procurar o Paris Saint-Germain para saber as condições de tê-lo no São Paulo. Mas o clube francês o negociou por 25 milhões de euros (R$ 98,7 milhões na época) em janeiro com o Tottenham, da Inglaterra. Assim, embora haja um constante contato com Lucas, a sua volta ao clube que o revelou não passa de um projeto futuro no momento.

Militão – Situação: saída próxima
A proposta de renovação de contrato por três anos, com um pacote de R$ 15 milhões, não foi sequer respondida ainda pelos representantes do jogador de 20 anos. O seu vínculo se encerra em janeiro e, apesar da ciência de que ele é monitorado por clubes como o Manchester City, os dirigentes já nem se mostram animados em lucrar com sua saída imediata, diante da dificuldade na negociação desde 2017.

Em julho, Militão já pode acertar um pré-contrato para sair de graça ao final da temporada. Se seus empresários dão claros sinais de que o querem na Europa só no ano que vem, o São Paulo se anima com o jogador, que tem mostrado empenho e nenhuma influência em campo de sua indefinição. Por isso, alguns dirigentes se conformam já com a ideia de apenas aproveitá-lo em campo nesta temporada.

Marcos Guilherme – Situação: saída próxima
Representantes do jogador e o São Paulo já se mostram cientes de que ele vive suas últimas semanas no clube. O meia-atacante está emprestado pelo Atlético-PR até 30 de junho, e o time paranaense, que já abriu mão do acordo verbal de deixá-lo no Tricolor por mais seis meses, não aceita cedê-lo por menos do que os 3 milhões de euros (aproximadamente R$ 13 milhões) estipulados em contrato por metade de seus direitos econômicos.

O São Paulo fez uma oferta abaixo desse valor e já avisou que não chegará à quantia exigida pelos curitibanos. A situação vem causando desconforto entre todos os envolvidos na negociação e, apesar de Marcos Guilherme ter exposto que deseja ficar no Tricolor, seu time do coração, o mais provável no momento é que ele mude de ares. Corinthians, Flamengo, Cruzeiro e Atlético-MG já procuraram o Atlético-PR para saber sua situação.

Júnior Tavares – Situação: aguardando ofertas
O São Paulo tinha convicção de que o Rennes pagaria os 2,5 milhões de euros (R$ 10,8 milhões) acordados depois de ver Júnior Tavares treinando por 20 dias na França. Mas o clube europeu avaliou que o jogador de 21 anos, no momento, vale menos do que foi estipulado e, por isso, ele voltou ao Tricolor.

Ainda assim, há uma convicção de que novas propostas aparecerão pelo lateral-esquerdo. O técnico Diego Aguirre pode utilizá-lo e, caso agrade, os interessados serão ouvidos pela diretoria. Os representantes do atleta e o clube concluíram que sua saída neste momento será proveitosa.

Arboleda – Situação: deve ficar
O São Paulo está ciente de sondagens e interesses de clubes europeus pelo zagueiro e, por isso, tentou se proteger com a recente renovação de seu contrato até junho de 2022. Arboleda está entre os nomes que Raí deseja segurar o máximo que puder para tê-lo como base do time de Aguirre.

Lucas Fernandes – Situação: analisando opções
O meia de 20 anos conta com o apoio de André Jardine, auxiliar e conselheiro próximo de Diego Aguirre, para receber mais oportunidades dentro de campo. Mas os dirigentes não descartam a ideia de emprestá-lo para que evolua com ritmo de jogo e retorne mais pronto. As possibilidades que aparecerem para Lucas Fernandes serão analisadas.

Shaylon – Situação: deve ficar
Em fevereiro, o São Paulo renovou o contrato de Shaylon até 2022, mas o jogador foi sendo menos utilizado ao longo do meses. Apareceram clubes brasileiros interessados em seu empréstimo e a ideia foi levada a Aguirre, que vetou sua saída. A princípio, o jogador de 21 anos fica.

 

Fonte: Lance

 

Nota do PP: mantenho minha informação de que, nos bastidores, o São Paulo tenta equalizar fórmulas para trazer Hernanes e Calleri.

17 comentários em “Ganso, Rodrigo Caio, Cueva… Saiba como São Paulo vê próxima janela

  1. Já “vendemos” tantas vezes o Rodrigo Caio que já não acredito mais em proposta boa para a transferência dele.
    Além de tudo com a cirurgia que fez e o tempo de recuperação necessário de três meses, Rodrigo Caio não estará apto a jogar antes do fim da janela.
    Melhor ficar com ele – bom zagueiro, mas nada excepcional – e garantir uma estabilidade e opções para a zaga do SPFC. Se queremos jogar no 3-5-2 necessitamos de 4 ou 5 zagueiros de bom nível no elenco.

  2. Dos jogadores envolvidos aí, só fico triste com a saída de Militão, isso pq ele é bom jogador, mas já tá de sacanagem e pela falta de respeito, eu já tô torcendo pra ele se fuder, o time o projetor e deu as condições, aí ele q é um moleque pau mandado, n tem coragem de honrar o clube, eu colocaria hj mesmo separado só treinando e sem jogar pra aprender a da valor, e dependendo da situação, nem deixava treinar, mandava pra casa e pagava o salário, botava sem cuspe mesmo!

  3. A meu ver as contratações (muito difíceis) de Hernanes e Calleri, sonho de noites de verão pra muitos, pra mim seria um grande pesadelo: gastariam os tubos e, em termos de conquistas, seria um zero bem grande para o tricolor…

  4. Saídas esperadas:

    Cueva
    Rodrigo Caio
    Militão

    Chegadas:

    Palpite:

    Não virá ninguém, e se não for para contratar titulares absolutos, apoio a não contratação de ngm, chega de jogar dinheiro pela janela.

    Sonho:

    Calleri e Hernanes, não creio que virão, mas seriam as peças para nos levar ao título.

    Expectativa para a temporada:

    Metade da tabela, campeonato sem grandes emoções para nós, não iremos beliscar uma vaga na libertadores, mas tbm não ficaremos noites sem dormir por causa da luta contra o rebaixamento.

  5. Alguém ainda se lembra de um jogador que não joga chamado Gustavo Scarpa? era um jogador do Fluminense, que também era do Parmeiras… hoje é e não é de ninguém… Poderia ter vindo de forma limpa ao tricolor e hoje amarga o esquecimento.

    • João, o pior é que até hoje tem muitos torcedores que criticam ferozmente o Raí por não ter ganho a parada com o Scarpa. O problema é que ele quis o ilegal. Então, está aí, sem jogar em lugar nenhum.

      • O problema da vir de uma forma limpa para o São Paulo é que não dava para competir com o gasto de 6 milhões de Euros que a Crefisa vai bancar para o pagamento de luvas e agentes do jogador, segundo tem circulado na imprensa.
        Parte do dinheiro que o São Paulo pagaria para o Fluminense vai toda (e mais um outro tanto) para o jogador. Não tem como competir nesse tipo de negócio.

  6. Hernanes e Calleri, jogando o que jogaram quando vestiram a camisa tricolor, levariam o clube a um nível muito bom. É o que o clube precisa para virar essa página triste de sua vitoriosa história.

  7. Pela reportagem, saem no meio do ano 6 jogadores (5 deles jogam com regularidade), 2 ficam e 2 já sabemos que não vão vir.

    O Raí disse esses dias aí que não vai ter desmanche, pode “confiar”.
    Quero que chegue proposta pra esses seis aí, vamos ver se pode confiar mesmo ou se ele vai vender meio time. Até agora as contratações de jogadores e treinador foi igualzinho ao Pinotti e ao Ataíde, só falta o desmanche pra bater 100%

    • Essas saídas são decorrentes de erros da gestão anterior….
      Militao subiu por profissional com contrato no fim.
      MGuilherme foi emprestado com um acordo “verbal” e valor de compra altíssimo.
      RCaio e Cueva são vendas planejadas.

      O torcedor tem que pensar um pouco antes de apontar o dedo e colocar a culpa. Tem Cagadas do passado que só aparecem depois de um tempo.

  8. Falando sobre o post:
    A fase é muito ruim mesmo. Os dois melhores jogadores citados (quando falo melhor, quero dizer útil para o time atual), que são o Militao e o Marcos Guilherme, vão sair.
    Rodrigo Caio e Lucas Fernandes seriam reservas, ou nem isso, em qualquer time grande do Brasil.
    Ganso é lento e vive de um passado bem remoto, igual ao tricolor, esquece, não vai ajudar.
    Cueva, tchau, mesmo se não vender não deveria mais jogar
    Lucas é um sonho, vamos falar sério, impossível agora
    Precisamos definir um esquema e contratar pontualmente para resolver. O Aguirre cada hora joga de um jeito, nem sei o que falar.
    Se alguém me pergunta:cita 2 jogadores para contratar para melhorar o SP. Eu confesso que não saberia indicar
    Que fase…..

  9. Quando isso vai acabar ? Quando voltaremos a ser protagonista de algo ? Que fase….
    Uma semana e nem temos o que falar do time, não temos o que fazer durante a semana, não tem um joguinho pra assistir, nada.
    Aí vc pensa: pelo menos ficamos treinando e descansando a semana inteira, no fim de semana o time entra arrebentando, voando ! Só que não

  10. Com o salario que o Ganso esta ganhando jamais voltara para o sao paulo, melhor ficar com o que temos mesmo que se bem escalado e treinado com certeza dara conta, sobre possiveis saida, Cueva, RC, M Guilherme e etc, se nao querem ficar nao adianta oferecer mundo e fundos, jamais vao jogar 100%, entao melhor é arrumar um clube de preferencia fora do Brasil pq aqui sera arrumar dor de cabeça para nos mesmo.

  11. Torço pela serenidade dos dirigentes na contratação do Marcos Guilherme. Por mais que o jogador seja dedicado taticamente, não dá para fazer loucura para contratá-lo.
    Temos jogadores na base que podem fazer o mesmo papel que o dele.
    Seria melhor usar esse recurso (junto com o da venda do Cueva e quem sabe até do Rodrigo Caio e do Militão) para trazer um reforço de peso, como um Calleri, um Hernanes ou até mesmo Ganso.
    O São Paulo está precisando de jogadores que decidam. Para compor elenco, tem já tem um monte.

  12. O Rodrigo Caio é responsável pelo seu próprio destino.
    Apesar do aviso de boa parte dos torcedores (aqueles que viram grandes zagueiros com a 3 e a 4 do São Paulo) e de alguns comentaristas (sérios), quis acreditar na torcida modinha, em empresários e no Tite de que poderia um dia ser um grande zagueiro.
    Resultado: Ficou fora da seleção e sem uma proposta decente para ir para a Europa.
    Penso que se agora vier alguma proposta, só valerá a pena a de algum time do Leste Europeu, destino da maioria dos jogadores cujos agentes são do mesmo grupo de empresários que o seu faz parte.

  13. Troca o Jr Tavares pelo MGuilherme.
    Manda o Militao pra Cotia.
    Shaylon e Lucas devem ficar. O Aguirre joga com um volante e dois meias. Pra mim os titulares seriam: Jucilei, Liziero e Lucas. Os reservas Petros, Shaylon e Hudson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*