Ganso passa a preocupar Muricy: “Pancada não foi tão simples”

“Acho que não aconteceu nada”, minimizou Muricy Ramalho, na quarta-feira, sobre a pancada recebida por Paulo Henrique Ganso no joelho direito. Dois dias depois, ao vê-lo ainda em tratamento no Reffis, o treinador do São Paulo já não tem tanta certeza assim se poderá contar com o meia no clássico de domingo, contra o Palmeiras.

“Não teve torção. Ele fez exame, que não acusou nada. Só que a gente vai ter que esperar mesmo a revisão de amanhã (sábado) ou próximo do jogo. Não tem certeza nem que sim nem que não (joga). Foi uma pancada, mas não foi tão simples, senão teria treinado hoje (sexta-feira)”, justificou-se.

Internamente, o sempre confiante departamento médico do clube trata a possibilidade de Ganso jogar como grande. O meia apresenta um edema no local e tem feito tratamento intensivo no CT da Barra Funda para ficar à disposição. Ele poderá ser relacionado mesmo se não conseguir treinar no sábado, desde que apresente evolução satisfatória.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Comandante são-paulino achava, na quarta-feira, que a pancada sofrida por seu camisa 10 era algo simples

De qualquer forma, Muricy já lamenta seu eventual desfalque, assim como o treinador palmeirense não deverá ter Valdivia, a serviço da seleção chilena. “O Valdivia tem características únicas. Além de armar bem, tem o passe e o drible. Igual ao Ganso. A gente não tem um jogador parecido na maneira de jogar, de controlar o jogo, de parar o jogo. Temos outros meias, mas muito agressivos, agudos. É difícil arrumar um 10 como Valdivia e Ganso”, comentou.

Se Ganso for vetado, a opção mais simples é a escalação de Michel Bastos, meia que vem tendo boas atuações com a camisa tricolor. Neste caso, a lateral esquerda – ainda sem o uruguaio Álvaro Pereira – ficaria a cargo de Reinaldo.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*