Futuro de Jair Ventura e Diego Aguirre passa pelo clássico deste sábado

O último clássico entre Corinthians e São Paulo no ano, neste sábado, às 17h (de Brasília), pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, pode ter um peso diferente para o futuro dos técnicos Jair Ventura e Diego Aguirre. A chance de demissão é praticamente zero, mas a pressão sobre eles só aumentará em caso de um resultado negativo.

Com números ruins à frente do Corinthians após 13 jogos (33,3% de aproveitamento), Jair precisa reagir com urgência.

A equipe está em 12º no Brasileirão com 39 pontos, a cinco da zona do rebaixamento. Ele é criticado por torcedores, que não veem no técnico a capacidade suficiente para fazer o time evoluir. O vínculo atual vai até o fim de 2019.

A diretoria concorda que o elenco tem carências, pondera que ainda se trata de um início de trabalho, mas também não garante a continuidade. A análise é que é preciso melhorar ainda neste ano.

– Os números são baixos, ele sabe que está mal. Lógico que é ruim – disse o presidente Andrés Sanchez em entrevista coletiva na quinta-feira.

– Garantido nem eu estou, tem um monte de técnico sofrendo impeachment. Mas não é justo falar do Jair agora. Nosso time não está bem, tem seis jogos para recuperar. Não vamos ser campeões, mas vamos trabalhar para sair dessa situação – projetou.

Mesmo sem a segurança de ficar para o ano que vem, Jair Ventura tem participado de todo o planejamento, listando necessidades e aprovando reforços. Assim como Diego Aguirre.

Quando o São Paulo disparou rumo à liderança do Campeonato Brasileiro, logo depois da pausa da competição para a Copa do Mundo, a diretoria chegou a se reunir Aguirre para tratar da renovação de contrato. O vínculo do treinador com o Tricolor vai até dezembro.

As partes se mostraram otimistas em relação à continuidade na ocasião. Mais do que isso: o fato de Óscar Tabárez renovar contrato na seleção uruguaia, que estava de olho em Aguirre, fez a diretoria tricolor comemorar. Mas aí veio a brusca queda de produção no segundo turno.

Embora o trabalho de Aguirre ainda seja fruto de elogios pelo conjunto da obra, o rendimento abaixo do esperado na reta final do Brasileirão levantou dúvidas sobre a continuidade. Tanto que a diretoria deixará o assunto suspenso até o fim do Brasileirão, onde o time é quarto, com 57 pontos.

Recentemente, o diretor-executivo de futebol do São Paulo, Raí, desconversou quando perguntado sobre a renovação de contrato do técnico uruguaio, durante evento na Federação Paulista.

Fonte: Globo Esporte

11 comentários em “Futuro de Jair Ventura e Diego Aguirre passa pelo clássico deste sábado

  1. Pelo amor de Deus, por favor não entrem nessa conversa de derrubar técnico, derrubar diretor. Diretoria e treinador assumiram este ano, pegaram um elenco desmontado e qualificaram com o orçamento que dispunham. Fizeram milagre. A queda nas competições mata-mata estava prevista. Ficar em quarto ou quinto no Brasileiro é uma surpresa. Claro que todo mundo quer ser campeão, mas, pessoal, sejamos francos: futebol é dinheiro e o SP tem menos que os rivais. Inter e Palmeiras pagaram com o rebaixamento para se recuperar. Estamos no lucro. Ano que vem, a tendência é de melhorar um pouco, aumentar o elenco. Quem sabe vencemos uma competição curta. Mas o caminho para isso é manter o trabalho. Montar um elenco para jogar no limite físico, como Aguirre (com razão) demanda e este grupo não suporta. Raí, RR e Lugano terão mais tempo e mais dinheiro. A hora é de cabeça fria. Independentemente do resultado neste sábado.

  2. Só podia ser essa merda vindo da Globo para dar uma noticia dessas, o rival está perto do rebaixamento e devendo 1, 100 bi e é o SPFC que está em 4º no campeonato onde o técnico está ameaçado.
    Realidade de um analfabeto funcional…..espero que que a Globo entre em falência total nesses 4 anos.

  3. O time so nao perde para as galinhas pq eles estao piores que nos, tem um treinador que esta balançando tb, e como o jogo é no galinheiro deles corremos risco de dar uma sobrevida ao Jair e ao timinho pq mesmo que percamos o Aguirre nao sera demitido e o time nao corre risco de rebaixamento.
    Mas a verdade mesmo esse jogo sera um jogo de compadre, um empate salva os 2 times.

  4. O Aguirre nao fica para 2019 isso é fato, fez um bom trabalho no 1o turno e no 2o turno mostrou a sua cara, que nao hora que o bicho pega, ele perdeu a mao, e infelizmente so nao é demitido agora pq nao tem outro para colocar, outro para pegar esse rabo de foguete, pq o sao paulo corre o risco de ficar fora do G4 e ver o sonhos da libertadores ir por agua abaixo, pq ficar na pré libertadores é castigo e como o time é um morre morre, nao vai para a fase de grupos.
    E esse grupo de notaveis diretores tem que dar um fim nisso pq é so dinheiro jogador fora, o que fizeram de bom esses 3, so pq foram grandes jogadores e idolos no sao paulo se acham no direito de fazerem merda.
    O pior é esse presidente Leco Leco que nao sai nunca nao tem um presidente descente para assumir nosso Sao Paulo.

  5. SE FORMOS NO BASEAR PELOS ÚLTIMOS CLÁSSICOS E PELAS ESCALAÇÕES DO ZÉ DA RETRANCA(OU CAGÃO APENAS) O JAIR VENTURA VAI SE MANTER NO CARGO E GANHARÁ MAIS CONFIANÇA…

  6. O que penso sobre um treinador para o S.Paulo 2.
    Rogério Ceni.
    Acabei de ler um artigo do Julio Gomes, no Uol, onde ele traça possíveis destinos para o Rogério Ceni e acha que ainda não seria a hora dele voltar ao S.Paulo.
    Se ficam arquivados nossos comentários neste Site, voltando à época em que o Rogério estava para ser contratado e depois, quando seu trabalho já tinha sucumbido por aqui, vão notar que fui um ferrenho crítico do profissional. Na realidade, acho que fui mais crítico ao homem que ao profissional, já que, como profissional, com seu gosto pelo time no ataque, muito me agradava.
    Não sei como está, hoje, o Rogério Ceni. Acredito que muito mais maduro, principalmente pela forma como foi saído do S.Paulo.
    A meu ver, e aí é que residiam minhas maiores críticas, era por sua arrogância, que não lhe permitia assumir erros e péssimos resultados, passando-nos a impressão de que todo torcedor seria um tolo, que ele foi saído. Ainda mais: não reconhecendo seus erros e os erros do time não havia como corrigi-los e, assim, dia a dia, foi perdendo sua aura de ídolo e acabou como acabou, inclusive com outro erro, o da tal multa que ninguém entendeu até hoje.
    Dentro daquilo que escrevi no comentário abaixo, dentre os profissionais brasileiros à disposição eu não teria nenhuma dúvida em trazê-lo de volta para o lugar que deve ser seu por merecimento, desde que, bem entendido, fossem colocados às claras seus erros de origem e fosse reconhecido por ele a necessidade de fazer de uma forma diferente.
    Com o atual diretor de futebol e seus auxiliares, acho que o Rogério teria tudo para ser esse técnico longevo que precisamos à frente do time. Vejamos: é novo e tem ambição no trabalho; é estudioso e ligado ao que está acontecendo na área de treinamentos; dedicado; inteligente; teria a boa vontade de torcedores para com ele; tem coragem e conhecimento para lançar mão de garotos que sobem da base; enfim, na minha opinião crítica, acho que, se realizada a escolha para um futebol com características do futebol europeu, com muita pegada e sempre no ataque, como sugeri abaixo, o Rogério é o melhor nome a ser considerado no momento…

    • Desculpe mas não concordo, RC ainda está aprendendo a função, pode até ser técnico de uma equipe intermediária na série A. Quanto a voltar a dirigir o SPFC aposto que os mesmos que hoje o querem serão os primeiros a pedir sua cabeça nos primeiros momento s de dificuldade. É o mesmo delay novamente.

  7. O que penso sobre um treinador para o S.Paulo.
    O S.Paulo tem no seu elenco vários jogadores ganhando em torno de 500 mil reais por mês, que não valem 20% disto. Não vou listá-los, mas vários deles frequentam a reserva e alguns que estão jogando nada acrescentam ao time.
    Minha sugestão:
    Que a diretoria, juntamente com seus vários auxiliares remunerados para isso, quiçá consultando opinião de sua torcida (a maioria claro, pois nunca vai haver unanimidade), estabeleça qual é o viés que deverá ter o time: se deve jogar ataque; se defensivamente, jogando pela tal uma bola; se, como foi até o fim do primeiro turno, esperando o adversário e contra-atacando, enfim, resolvendo o como se quer o time jogando para poder escolher qual treinador se encaixaria na característica que o time deverá ter.
    À partir daí, procurar no mercado nacional ou internacional um treinador top que aceite fazer um trabalho de longo prazo no clube, avisando o torcedor qual será o objetivo e qual o prazo que vai ser dado para alcançá-lo.
    Ah!, mas um treinador top vai querer ganhar 500 mil dólares! Que seja! Todo ano temos jogado fora muito mais que isto (seis milhões de dólares) com contratações meia-boca que sistematicamente são piores do que os meninos que temos na base.
    Com exceção do Osorio, a quem critiquei por seu furor em ficar mudando o time a toda hora (coisa que pode ser conversado e corrigido antes de se celebrar o contrato caso ele concorde), o S.Paulo há vários anos não tem um treinador do tamanho do clube. Este é o maior problema. Treinadores que vêm apenas para defender seus empregos, que jogam apenas para o presente – e o presente significa não perder para conservar o salário.
    Está na hora de termos à frente do time um treinador que saiba que é bom e que não se preocupe apenas com os resultados imediatos. Que saiba escolher seus jogadores e, principalmente, saiba “fazer a omelete com os ovos que se tem em casa”, cuidando do “tempero” que deixará boa a tal omelete.
    Um treinador que possa ficar anos à frente da equipe e que seja “cascudo” o bastante para ser superior às críticas mas que também seja inteligente para não se deixar levar por jogadores mal acostumados que se julgam maiores que o treinador. Que não forme “panelinhas”, com jogadores e auxiliares, e que seja direto e honesto com eles.
    Quem seria esse treinador?
    Não sei! Saberia, se fizesse parte do comando do departamento de futebol do clube!
    Esta é minha visão para acabar, de vez, com tanta improvisação no departamento de futebol! Não adianta insistir na resolução imediata (obrigação de ganhar campeonato tão logo assuma um novo treinador) já que o clube não tem dinheiro suficiente para montar uma grande equipe que desse segurança da vitória – e é só ver o que está acontecendo e o que já aconteceu com o Flamengo, por exemplo, que contratou um elenco conhecidíssimo por trabalhos anteriores, mas que não consegue ganhar títulos. Lá também os jogadores são muito maiores que os treinadores que lá estiveram! Por isso os títulos não vieram…

  8. Independente de resultado, o Aguirre já caiu. Só esperar fim do ano para ser oficializado.

    Nem precisa ser mãe dinah para saber do futuro, que na verdade é o nosso passado há mais de uma década. Alguém chegará em Janeiro, Jardine ou algum medalhão qualquer, não vão qualificar o elenco, perderemos o paulistão, seremos eliminados da libertadores, e vão mandar esse novo treinador embora, alguém tem que pagar o pato. Nesse ponto, provavelmente até o Raí irá cair. Virá outro treinador pro brasileirão, que vai cair lá no finalzinho, talvez até no fim do primeiro turno, e novamente vamos ter 3 treinadores no ano, sem nenhum planejamento, sem um projeto de montagem de elenco e a coisa continuará caminhando para o buraco. Quem disse que do chão não passa?

    Podem até mandar o Aguirre embora, eu não tenho treinador de estimação, mas larguem de serem sacanas com o São Paulo, a diretoria só quer dar uma resposta e fingir que está atacando problemas, se trocar treinador desse resultado, já seríamos penta campeões mundiais, acho que ninguém na primeira divisão troca mais de treinador que o São Paulo, e adivinhem só… Nunca resolveu! Nunca deu e não dará resultado, enquanto vocês, diretores, não fizerem uma análise da situação e acharem as respostas para o motivo dessa crise toda, nós vamos continuar nela. Não venham me dizer que o motivo do nosso insucesso são os inúmeros treinadores que passaram por aqui. Achem o real problema e corrijam, parem de ficar nessas cadeiras acolchoadas no ar condicionado tomando essas decisões ridículas pq são os caminhos mais fáceis e óbvios. Está faltando inteligência, coragem e boa vontade no nosso tricolor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*