“Fúria” de Lugano causa ataque de risos e Ceni vence desafio com joia1

O treino do São Paulo nesta quinta-feira (02) foi recheado de atrações. A mais importante delas foi a formação titular testada por Rogério Ceni, mas dois momentos no fim do treino também prenderam a atenção de quem estava no CT da Barra Funda: um ataque de “fúria” de Diego Lugano que terminou em ataque de risos e uma disputa de Ceni com Lucas Fernandes.

O primeiro episódio aconteceu durante trabalho específico para os defensores da equipe. De um lado, o trio de auxiliares Pintado, Charles Hembert e Michael Beale treinava Bruno, Buffarini, Rodrigo Caio, Maicon e Lucão. Do outro, Ceni orientava Lugano, Douglas, Breno, Wellington, Foguete e Júnior.

A atividade tinha três etapas: salvar chute contra mini-gol, ganhar disputa pelo alto e fazer desarme no mano a mano, tudo num circuito dinâmico. Ceni gritava muito com os atletas que esperavam, também motivando os companheiros, até que Lugano foi cumprir o exercício. Atirou-se no chão para evitar o gol, empurrou o rosto de Wellington pelo alto e acertou pancada em Foguete, de uma vez só e bufando.

Ceni não aguentou, parou o treino e caiu na gargalhada. Douglas e Breno não se conformavam e tiravam sarro de Wellington. Júnior gritava e Foguete sofreu ataque de riso, que custou a passar. Depois, quando a atividade mudou de lugar e de modelo, foi o Ceni quem arrancou risadas ao cair tentando evitar cruzamento. Os atletas se empolgaram e passaram a se jogar com carrinhos para salvar as mini-traves.

“Eu vejo ele muito feliz, um Rogério alegre que nos cativa bastante. Essa alegria dele transmite para nós e isso é muito importante. Nos motiva e nos alegra com os treinos, não nos deixa cabisbaixo e tira a tristeza de quem não vai jogar. Tem tudo para vencer e fico muito feliz de vê-lo treinando faltas, treinando como zagueiro, um falso jogador praticamente”, disse Maicon.

As faltas citadas pelo capitão tricolor foram cobradas ao lado de Lucas Fernandes, quando todo elenco já estava liberado do treino. O garoto se recupera de cirurgia no ombro esquerdo e ainda treina sozinho, mas Ceni sempre separa pedaço do treino para conviver com ele. Disputaram faltas, pênaltis – no ângulo ou entre bonecos e as traves – e lançamentos que miravam o carrinho de bolas. O técnico venceu por 2 a 1 os desafios.

“Eu ganhei por muito pouco, mas é questão de meses para que o Lucas me supere”, brincou Ceni na saída do gramado.

 

Fone: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*