Filho de Aloísio vai se chamar Rogério Ceni

Os 40 anos de Rogério Ceni têm motivos de sobra para serem comemorados por um amigo em especial do goleiro: Aloísio Chulapa. O atacante, que disputará a Série A-3 do Paulistão pela Francana, é são-paulino fanático e tem o ‘patrão’ – forma carinhosa como costuma chamar Ceni – como seu maior ídolo, ao lado de Telê Santana. A amizade é mantida até hoje com o goleiro, com quem conquistou o Mundial de 2005 e os Brasileiros de 2006, 2007 e 2008.

Por conta de todo o carinho, Aloísio revelou aoPortal da Band que decidiu fazer uma homenagem ao ex-companheiro. Vai colocar o nome do goleiro em seu futuro filho. “Quando fomos gravar o filme do título mundial [Soberanos 2], o patrão autorizou minha intenção. Quero ter um filho, que seja a vontade de Deus, mas a preferência é que seja menino. Se for, vou colocar o nome dele. Ele assinou embaixo. O patrão é um exemplo de pessoa”, disse o atacante, que também ficará perto dos 40 no domingo, já que completa 38 anos.

Como presente para o ídolo, Aloísio quer ver o goleiro nas próximas convocações da seleção brasileira. Para o atacante, Ceni vive ótimo momento, tem condições de estender a carreira para depois deste ano e seria seu camisa 1 do Brasil na Copa do Mundo.

“Quero desejar feliz aniversário, de coração. Não sou ninguém, sou só o Aloísio Chulapa. Fiz coisas que nunca imaginava fazer, ser campeão do mundo, tricampeão brasileiro… E ao lado do patrão. O único presente que eu queria dar é que ele seja o goleiro da Seleção na Copa. Ele merece, tem condições e tem lugar no time. Pelo que ele está mostrando, dá para jogar no ano que vem. Sei que o patrão é o Felipão, tiro o chapéu para ele, é um dos melhores treinadores que já vi. Não é desrespeitando, mas ele estaria entre os três meus na Copa”, disse.

Autor da assistência para Mineiro fazer o gol do título mundial de 2005, com um passe “à la Ronaldinho Gaúcho do Paraguai” – segundo sua própria descrição do lance -, Aloísio relembrou a importância do goleiro para a conquista de seu principal título na carreira. Ele acredita que o camisa 01 foi fundamental tanto dentro de campo como fora dele.

“Ele motivou muito a gente no Mundial. Saiu no jornal que o Gerrard tinha falado que o Liverpool era imbatível, que estava 14 jogos sem perder e sem tomar gol. Ele pegou o jornal e saiu mostrando para nós na concentração, um a um. Foi muito importante. Aí no jogo a gente fez 1 a 0 e ele meteu um muro em baixo das traves depois (risos)”, brincou.

‘Dedo do patrão’

Não foi só no Mundial que a liderança de Ceni influenciou no São Paulo. Em 2007, após eliminação para o Grêmio nas oitavas da Libertadores, o presidente Juvenal Juvêncio decidiu que o momento era de reformulação. Alguns jogadores foram apontados como culpados, e Aloísio estava entre eles, com um pé fora do Tricolor. Mas, segundo ele, Ceni salvou sua cabeça e reuniu os jogadores para conversar. Resultado? Mais um título brasileiro.

 

Fonte: Portal Band

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*