Fernando Diniz ganha elogios no São Paulo por melhorar atletas

Fernando Diniz costuma receber elogios dos jogadores com os quais trabalhou. Esse cenário se repete no São Paulo, clube no qual o técnico é valorizado pelos próprios atletas por tê-los ajudado a evoluir.

Desde o fim de setembro de 2019 no São Paulo, Fernando Diniz conseguiu melhorar jogadores que viraram peças fundamentais no time titular. Daniel Alves, Antony, Vitor Bueno, Igor Gomes e Alexandre Pato são alguns dos principais exemplos (veja os números mais abaixo).

– Vejo muito e sempre acompanhei o estilo de jogo do professor Diniz. Cada vez mais o nosso time está com a cara dele. Uma coisa que só quem trabalha com ele vê é como faz a gestão do grupo, o jeito que extrai o máximo de cada jogador. Nós vemos o tanto de jogador que evoluiu quando ele chegou. Eu me incluo nisso. Ele passa muita confiança e nos deixa muito à vontade dentro de campo. Apesar dos gritos que dá (risos), deixa à vontade para fazer o que sabemos. Ele cobra bastante, mas fala que cobra porque temos muito a acrescentar – disse o meia Igor Gomes.

Entre a “discussão” bem-humorada sobre se o certo é “Dinizmo” ou “Dinizismo” e os elogios nas redes sociais, o técnico consolidou para o torcedor um time-base: Tiago Volpi; Juanfran, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes; Antony, Vitor Bueno e Pato.

Como princípio, Fernando Diniz acredita que a maioria dos jogadores tem talento e condição de jogar mais, mas não são estimulados a evoluir, pois crê que os atletas são vistos como peças descartáveis. A premissa do técnico é lutar contra esse “desprezo” aos jogadores.

A partir dessa filosofia, Fernando Diniz usa diferentes maneiras para cada atleta com o objetivo de tirar o máximo de cada um. Psicólogo de formação e adepto da leitura de livros sobre o assunto, ele busca entender as razões pelas quais os jogadores não conseguem render em campo o que podem.

Na carreira, houve casos de jogadores que choraram com o técnico por abrir traumas pessoais após horas de conversas íntimas. Houve exemplos nos quais ele conseguiu recuperar a confiança dos jogadores, perdida com outros treinadores. Em outros casos, isso não aconteceu.

Em campo, a filosofia de jogo de Fernando Diniz é baseada na solidariedade. Todos se ajudam. Se um atleta tem a posse, os outros precisam dar opção de passe. Como a equipe fica mais tempo com a bola e tem mais atletas próximos da zona de ação, isso naturalmente ajuda alguns tipos de jogadores.

Veja abaixo jogadores que melhoraram e viraram peças fundamentais com Fernando Diniz no São Paulo:

Antony

  • Recebia críticas pelo rendimento no primeiro semestre e virou um dos atletas mais decisivos com o treinador;
  • Fez três gols e deu quatro assistências com Fernando Diniz;
  • Sob comando de Fernando Diniz, teve aproveitamento de 56,8% dos pontos no São Paulo: nove vitórias, dois empates e seis derrotas em 17 jogos;
  • Foi vendido ao Ajax em negócio que pode render até R$ 134 milhões.
Antony, do São Paulo, é um dos atletas mais decisivos com Fernando Diniz — Foto: Marcelo Hazan

Antony, do São Paulo, é um dos atletas mais decisivos com Fernando Diniz — Foto: Marcelo Hazan

Igor Gomes

  • Estreou como profissional em 2018, se firmou em 2019 e virou titular com Fernando Diniz. Era reserva com Cuca;
  • Das 44 partidas pelo São Paulo, fez 21 sob o comando de Fernando Diniz;
  • Marcou três dos cinco gols pelo São Paulo com o atual técnico;
  • Recebeu aumento salarial pelo bom rendimento.

– O professor Diniz tem o mesmo estilo de jogo e a mesma forma de jogar desde quando chegou para trabalhar no São Paulo. É um estilo de jogo que casa muito com o meu. Essa junção ajuda o meu futebol, e eu consigo ajudar ainda mais o time – disse o jogador.

Fernando Diniz e Igor Gomes conversam no CT do São Paulo — Foto: Marcos Paulo

Fernando Diniz e Igor Gomes conversam no CT do São Paulo — Foto: Marcos Paulo

Pato

  • Terminou 2019 com seis jogos seguidos no banco sem entrar por opção da comissão técnica;
  • É o vice-artilheiro do São Paulo no ano, com quatro gols, sendo que teve dois gols mal anulados pela arbitragem;
  • Em 11 jogos, está a um gol de igualar a marca de 2019 (cinco gols), alcançada em 22 partidas;
  • Passou a atuar centralizado em 2020, auxiliado por Antony (direita) e Vitor Bueno (esquerda) ou mesmo por Pablo pela ponta.
Pato comemora gol do São Paulo — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Pato comemora gol do São Paulo — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Vitor Bueno

  • Reserva com Cuca, foi titular em 23 dos 26 jogos nos quais entrou em campo sob comando de Fernando Diniz;
  • Cresceu de rendimento como ponta pela esquerda, onde gosta de jogar e foi fixado por Diniz;
  • Fez quatro dos seis gols pelo São Paulo com Fernando Diniz;
  • Deu seis assistências com Fernando Diniz (cinco neste ano e uma em 2019);
  • Teve a compra definitiva confirmada em troca com o Santos por Raniel.
Vitor Bueno conversa com Fernando Diniz em treino do São Paulo — Foto: Marcelo Hazan

Vitor Bueno conversa com Fernando Diniz em treino do São Paulo — Foto: Marcelo Hazan

Daniel Alves

  • Foi fixado como um meia que constrói as jogadas desde a saída de bola;
  • É o artilheiro do elenco em 2020, com cinco gols;
  • Com Fernando Diniz, deu três assistências (não inclui a participação direta no primeiro gol de Pablo, contra o Santos) e marcou seis gols;
  • É o segundo maior finalizador do time e do Paulistão de 2020, com 3,1 por jogo;
  • É líder em desarmes do São Paulo e o quinto do campeonato, com 29;
  • É quem mais troca passes no Paulistão: 93,3 por partida;
  • É o jogador com maior índice de posse de bola no estadual.
Daniel Alves, do São Paulo, é o artilheiro do elenco no ano, com cinco gols — Foto: Marcos Ribolli

Daniel Alves, do São Paulo, é o artilheiro do elenco no ano, com cinco gols — Foto: Marcos Ribolli

Fonte Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.