Fabuloso e Kardec findam seca juntos, mas seguem em fases opostas

Na última segunda-feira, mais um recorde de Rogério Ceni e uma atuação de gala de Michel Bastos quase ofuscaram a redenção do ataque do São Paulo. Depois de 31 dias sem gols, o setor fez as pazes com as redes com os gols de Luis Fabiano e Alan Kardec, mas os centroavantes seguem vivendo fases completamente opostas no Morumbi.

Fabuloso ainda é o artilheiro do Tricolor na temporada, agora com 17 tentos (em 36 jogos). O prestígio com Muricy Ramalho, entretanto, segue abalado. O técnico criticou publicamente o costume do camisa 9 em demonstrar sua insatisfação com o banco de reservas para a imprensa e lembrou que, caso não tivesse sido expulso de maneira infantil contra o Huachipato (CHI) no início de outubro, poderia ser titular novamente nesta quinta-feira contra o Emelec (EQU).

– A punição (de três jogos da Conmebol) foi rigorosa demais, não precisava tudo isso. Mas é coisa para ele pensar, pois agora era mais uma oportunidade para mostrar trabalho, e não vai ter. Tudo na vida você aprende. Agora vai fazer falta para o time, porque fez gol, ganhou moral, ficou alegre. Ele fica emburrado quando não faz gol. Se eu ia ter dor de cabeça para escalar, eu não sei, porque não vou ter esse problema – reclamou Muricy.

Já com Alan Kardec, com sete gols em 26 partidas, é o discurso é totalmente positivo. O ex-palmeirense não marcava desde o dia 14 de setembro, quando o São Paulo bateu o Cruzeiro por 2 a 0 no Morumbi, e nem por isso perdeu a confiança do treinador. Muricy fez questão de mostrar sua alegria com o fim do jejum e de valorizar o caráter e o comprometimento do camisa 14.

– A gente sempre a gente torce para alguns caras que são muito do bem. Não sei se repararam, mas eu reparei no abraço que ele deu no Luis na hora do gol. Isso que ele é concorrente no Luis. Está sempre feliz, no CT adoram ele. Todo mundo torce. Não me impressiono com jejum. Enquanto estivesse correndo… Com esse GPS não dá para esconder mais… Se correr só cinquinho (quilômetros) já era… Ele é o que mais corre… E é centroavante. Me alivou porque queria tirar, estava jogando no limite. Fico contente por ser um grande caráter, um cara que se sacrifica pelo time – destacou o comandante.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*