Em uma semana, Muricy muda treinos e cria otimismo com vitórias

Muricy Ramalho reassumiu o São Paulo há uma semana, no último dia 10. O clube era 18º colocado, vinha de período com dez derrotas, quatro empates e apenas três vitórias com Paulo Autuori. Uma semana depois, Muricy tirou o São Paulo da zona de rebaixamento e amenizou o pessimismo interno entre dirigentes. Coincidência ou não, o técnico alterou a rotina de trabalho no CT da Barra Funda, nos poucos dias que trabalhou desde o retorno.

Paulo Autuori é admirado pela enorme maioria dos jogadores do elenco são-paulino. Mesmo em crise absoluta durante sua passagem, os atletas o elogiam pelo ambiente de trabalho positivo construído e pela atenção individual. Nos treinos, Autuori procurava fazer atividades específicas, como treino de posicionamento para os defensores e finalizações para os atacantes. Definia até o movimento que tinha de ser feito nas cobranças de laterais, assim como em todas as bolas paradas. Quando tinha tempo, o técnico priorizava atividades técnicas, em campo reduzido e com todo o elenco.

Muricy não faz questão de tantos detalhes.  Desde que assumiu, prefere os treinos coletivos e táticos, na maioria das vezes com dois times de 11 atletas em campo. Assumiu o clube em uma terça-feira e, no primeiro trabalho, comandou treino tático e coletivo. Na terça-feira, fez novamente atividade tática. Na sexta, após vencer a Ponte Preta, fez treino técnico leve apenas com os reservas, em campo reduzido, e no sábado voltou a fazer trabalho tático.

Na tarde dessa segunda-feira, mais uma vez fez treino coletivo. Pediu à equipe sub-17 que fosse ao CT da Barra Funda para jogo-treino contra os reservas. Os treinos de Muricy não têm parado para observações específicas. O atual treinador é mais distante do que Paulo, mas pensa que precisa utilizar o tempo que tem para situações de jogo.

Muricy tem utilizado as palestras em vídeo, às vésperas dos jogos, para fazer os trabalhos táticos pontuais. Parte do pressuposto que o atleta entenderá nas apresentações o que precisará fazer em campo, para que não precise ter atenção especial nos treinos.

O elenco adorou Autuori, apesar do péssimo momento vivido pelo clube durante a passagem, mas ficou agradado com um aspecto específico de Muricy. O treinador não exigiu que os atletas ficassem concentrados da noite de sexta-feira para sábado, no último fim de semana, antes do embarque para o Rio de Janeiro e do jogo contra o Vasco, em São Januário, no domingo. Os jogadores tiveram de comparecer ao CT apenas na véspera da partida, dia da viagem. Com Autuori, normalmente a concentração durava dois dias para jogos no fim de semana.

Na diretoria, o clima de pessimismo pela permanência na zona de rebaixamento deu lugar à confiança de que o São Paulo não será rebaixado para a Série B em 2013. Os dirigentes acreditam que Muricy conseguiu, nos últimos dois jogos, fazer com que os jogadores rendessem mais próximo do nível que se espera.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.