Em e-mail, Ataíde diz ser julgado por agressão a Aidar e não corrupção

Ataíde Gil Guerreiro mandou um e-mail a todos os conselheiros do São Paulo para negar envolvimento na negociação do zagueiro Iago Maidana, fundamental no processo que culminou narenúncia do ex-presidente Carlos Miguel Aidar.

O dirigente disse que será julgado pelo Conselho, em reunião extraordinária desta segunda-feira, para esclarecer se agrediu ou não Aidar, mas não por corrupção. Ele também afirmou que não pediu absolvição a nenhum conselheiro, pois tem certeza que prestou um “enorme serviço ao São Paulo levando o ex-presidente à renúncia” (veja a íntegra abaixo). Recentemente, Aidar enviou e-mail aos conselheiros fazendo lobby para ser inocentado.

Ataíde enviou o e-mail para rebater a acusação de ter participação no caso Maidana feita pelo ex-conselheiro Guaraci Sampaio, em e-mail reproduzido por Newton Luiz Ferreira e enviado a todos os conselheiros. Newton do Chapéu foi o candidato da oposição derrotado pelo presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, nas eleições de outubro. O GloboEsporte.com teve acesso a troca de e-mails.

Newton diz ter recebido por meio de Guaraci um e-mail da Itaquerão Soccer, empresa com participação na negociação de Maidana, acusando Ataíde de participar da transferência e que profissionais do São Paulo cobravam dinheiro para efetivar atletas da base.

Newton também cita que Maidana disse em depoimento ao Ministério Público de São Paulo desconhecer o Monte Cristo, clube da terceira divisão goiana. A Itaquerão foi a responsável por tirar Maidana do Criciúma, pagando R$ 800 mil, e registrá-lo no Monte Cristo, antes de vendê-lo ao Tricolor por R$ 2 milhões.

São Paulo Iago Maidana (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)Iago Maidana é pivô da queda de Aidar (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

Em resposta, Ataíde afirma que se sente incomodado quando colegas do Conselho colocam em dúvida sua honestidade e que foi obrigado a gravar a conversa com Aidar para poder provar o que classificou como graves indícios de desonestidade. Ataíde também diz no e-mail que não apresentou testemunhas para a Comissão de Ética por entender que ajudou o clube ao colaborar para a queda de Aidar.

O ex-vice também afirma que sua única participação no caso Maidana ocorreu ao expulsar do CT da Barra Funda duas pessoas envolvidas na negociação e ligadas a Aidar e Cinira Maturana, namorada do antigo presidente. Nas palavras de Ataíde, o motivo da expulsão se deu porque “estava clara a desonestidade da transação já efetivada do atleta Iago”.

Por fim, o atual diretor de relações institucionais reproduz trecho da conversa gravada com Aidar em que o antigo presidente diz ter acertado a negociação de Maidana por telefone. Aidar teria consultado apenas Osvaldo Vieira de Abreu, antigo vice de finanças, sobre “se tinha dinheiro em caixa, não falou com ninguém do futebol, muito menos comigo”, segundo Ataíde.

Ataíde e Aidar serão julgados nesta segunda pela briga em outubro do ano passado. Os conselheiros votarão separadamente o caso dos dois. Eles vão decidir se acatam ou não o parecer da Comissão de Ética. As possibilidades são: suspensão de 30 dias, suspensão de 90 dias, arquivamento e cassação do mandato de conselheiro.

Veja o e-mail enviado por Ataíde aos conselheiros do São Paulo:

Conselheiros: respondo perante a Comissão de Ética processo para esclarecer se agredi ou não o ex-presidente Carlos Miguel, em nenhum momento houve qualquer desconfiança com relação ao meu comportamento ético. Não pedi absolvição pessoalmente ou por telefone para qualquer Conselheiro, isto porque tenho a real convicção que prestei um enorme serviço ao SPFC levando o ex-presidente a renúncia, objetivo de grande parte do Conselho, mas que não seria conseguido com as trocas de farpas pela imprensa, que só maculavam o SPFC mas não conseguiriam nunca completar o objetivo do afastamento do ex-presidente. Estou pronto a ser julgado sobre a existência da agressão, não aceito em hipótese nenhuma qualquer menção desairosa a minha honestidade, por isso respondi o e-mail anexo do conselheiro Newton Luiz Ferreira. NÃO SOU JULGADO POR CORRUPÇÃO, POR INCRÍVEL QUE POSSA PARECER VOU A JULGAMENTO POR TER FEITO UM ENORME BEM AO SPFC.

Ataíde Gil Guerreiro

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*