Em baixa, Centurión deve ter última chance contra o Strongest

O argentino Centurión ganhou a condição de titular do São Paulo desde o primeiro treino em que Edgardo Bauza esboçou uma equipe, ainda na pré-temporada. Um mês depois, porém, o atacante acumula atuações abaixo da crítica e vê Rogério, principal concorrente para sua vaga, ganhar o coração da torcida com gols importantes, algo que torna difícil a sua continuidade no time principal.

Dessa forma, o mais provável é que a partida contra o Strongest, nesta quarta, às 19h30 (de Brasília), pela estreia na fase de grupos da Libertadores, seja sua última chance de provar que merece a titularidade concedida pelo compatriota. Ciente da força que recebe de Bauza, o jogador já havia assegurado que dependia apenas dele agarrar a chance.

“O Patón está disposto a me dar a confiança e creio que essa é uma palavra muito boa. Eu estou jogando na posição que jogava no Racing. Agora tudo depende de mim, fazer o melhor para ficar com a titularidade”, comentou o atleta, que viveu algumas desavenças na equipe desde que chegou por causa do banco de reservas.

Ainda sob o comando de Juan Carlos Osorio, o avante reclamou depois de ficar como suplente diante do Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro, entrando somente aos 34 do segundo tempo. Em seu Twiter, ele publicou: “Entrando só dez minutos nem o melhor do mungo pode fazer mágica”. Descontente, o treinador repreendeu-o em público e, mesmo com um pedido de desculpas, deu poucas oportunidades ao atleta.

Na sequência, ele seguiu como mera opção tanto para Milton Cruz quanto para Doriva, com todos os comandantes apontado falta de dedicação nos treinos e concentração como os problemas de Centurión. A ideia de todos no clube era que, com Bauza, isso mudasse. Até o momento, porém, sem gols, assistências ou até uma boa atuação, nada parece ter mudado.

Tratado como uma esperança devido ao bom desempenho na campanha do Racing em 2014 e ao alto investimento feito na sua contratação (R$ 14 milhões), ele já deixou claro que está tranquilo quanto à concorrência de Rogério. “É uma competição saudável. Ter essa competição no plantel é normal. Se está Rogério, eu não estou, se eu estou, ele não está”, avaliou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

3 comentários em “Em baixa, Centurión deve ter última chance contra o Strongest

  1. Esse Centurion já deu o que tinha de dar, ou seja nada! Eu ainda gostaria de ver Kardec e Calleri juntos, pois os dois são de muita movimentação.

  2. Tá aí aquilo que se chama burrice: insistência no erro!
    É uma substituição queimada na largada. Chega de Centurion; precisamos é de um gladiador (não aquele) em campo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*