Em 2008, Corinthians também reduziu preços para lotar o Morumbi

A estratégia de marketing do São Paulo, criticada por dirigentes alvinegros na última terça, também foi expediente do Corinthians em 2008. Quando era presidido por Andrés Sanchez, o clube reduziu os preços de seus ingressos em um jogo decisivo no Morumbi, pela Copa do Brasil, assim como fez o rival tricolor nesta temporada.

Na ocasião, o Pacaembu passava por uma reforma e o Corinthians encarava o Goiás pela Copa do Brasil. No primeiro jogo, o time havia sido derrotado por 3 a 1 fora de casa, e sofria pressão da torcida. Antes de ir ao Morumbi, o Corinthians anunciou ingressos mais baratos para garantir a casa cheia, e conseguiu virar a eliminatória com um 4 a 0.

Os corintianos, então, pagaram R$ 10, R$ 20 e R$ 30 por lugares no anel superior, nas cadeiras atrás dos gols e nas cadeiras no centro do gramado, respectivamente. Os valores são idênticos aos praticados pelo São Paulo em 2013, com a diferença de que no plano o são-paulino os sócio-torcedores têm desconto, e podem gastar só R$ 2 na modalidade de bilhete mais barata, por exemplo.

A existência desse plano especial é justamente o ponto que mais incomoda Andrés Sanchez. Na nota oficial que divulgou à imprensa no fim da tarde da última terça, o ex-presidente corintiano ressaltou o prejuízo que outros clubes podem vir a ter com a promoção tricolor. Em 2008, o plano corintiano ainda estava para ser lançado, o que justificaria a redução feita à época.

Desde então, o Corinthians estabeleceu parâmetros anuais de ingressos, levando em consideração cada uma das competições disputadas. Hoje, uma partida de Brasileiro custa de R$ 30 a R$ 180 no Pacaembu. Na Libertadores, os valores sobem para R$ 50 a R$ 500. Os sócio-torcedores, maioria no estádio, têm vantagens garantidas.

“O último aumento que a gente teve foi em 2009, e desde então tem sido esses preços. O Fiel Torcedor tem, em média, 30% de desconto”, disse Lúcio Blanco, gerente de arrecadação do clube.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*