Dorival destaca evolução do SP, mas ainda vê time em débito no Brasileiro

Em evolução, o São Paulo conseguiu engatar a sua primeira sequência de três vitórias no Campeonato Brasileiro depois de dois anos. Neste sábado à noite, no Serra Dourada, a equipe do técnico Dorival Júnior derrotou o Atlético-GO, por 1 a 0. Com o resultado, o Tricolor passou a somar 43 pontos e se afastou ainda mais da zona do rebaixamento, agora com oito pontos de vantagem para as quatro últimas posições da tabela. Mesmo assim, o treinador também evita pensar em Libertadores ou outros objetivos.

“Eu penso da mesma forma, sou muito realista. O torcedor tem todo direito de fazer o que ele quiser. Ele vem apoiando, tem sido muito importante nessa participação, com muita entrega e apoio total. O torcedor tem todo o direito, quem não tem o direito somos nós. Temos de ir lutando pelo resultado seguinte e pensando sempre que nossa situação ainda não alterou. Tendo segurança e comprometimento de que faremos o melhor pelo São Paulo. A posição que chegaremos, para mim não é importante. Importa são esses 47 pontos. Porque nosso campeonato foi de débito e ainda não quitamos esse débito. Não podemos baixar a guarda”, disse Dorival.

Em seu discurso, o treinador fez questão de destacar o empenho dos jogadores e a evolução do time, que tem a melhor campanha neste returno até o momento, com 24 pontos conquistados.

“Não conseguíamos aquela regularidade que ainda continuamos buscando, mas já houve uma evolução muito grande. Eu disse que na virada do turno melhoraríamos, pelo período que teríamos aberto. Natural pela situação da equipe as coisas não aparecessem, mas vínhamos evoluindo. Poucas pessoas percebiam isso, mas era nítido. Fico feliz agora, houve uma mudança comportamental, equipe estruturada, e respondendo a todo momento taticamente”, afirmou o treinador.

Também por conta do momento difícil que o São Paulo viveu na competição, o clube atrasou para colocar o planejamento de 2018 em prática. Por isso, Dorival evitou falar da possibilidade de contratar o atacante Carlos Eduardo, do Goiás.

“Muitos jogadores estão na mira, mas observar e negociar tem uma distância muito grande. Ainda não estamos negociando, evitamos fazer isso agora. Todo jogador que chame atenção, é observado. É um grande jogador, mas não tem nada. Nossa única preocupação é sair dessa situação. Sei que o planejamento está atrasado, mas aqui no Brasil também é muito superficial. Estamos conversando, mas nada que nos faça perder o foco do nosso objetivo aqui. Depois que as coisas estiverem calmas, a gente pode tratyar disso.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*