Dirigente faz apelo para Ganso não falar mal da diretoria

O Santos aceitou negociar Paulo Henrique Ganso com o São Paulo, mas fez diversas exigências ao jogador. O UOL Esporte apurou os detalhes da reunião que decretou a saída do atleta. O meia só foi liberado ao clube do Morumbi após atender as reivindicações do Comitê Gestor. Em discurso anotado em uma prancheta, Pedro Luiz Nunes Conceição pediu para Ganso não “falar mal” da diretoria.

O discurso foi o principal comentário entre os integrantes da diretoria do São Paulo e da DIS, braço esportivo do Grupo Sonda, após a reunião. Para eles, a fala “parecia que estava pronta há semanas”, já que Pedro Luis observava os tópicos antes de fazer os comentários.

O dirigente santista desejava que o atleta firmasse a promessa de não criticar o Comitê Gestor em documento, mas Ganso não aceitou. Se não bastasse, a cúpula santista exigiu que o jogador assinasse um documento em que recusava a última proposta de renovação feita pelo Santos.

O pedido foi considerado sem nexo por São Paulo e DIS. Isso porque, eles consideraram que o fato do atleta se transferir para o São Paulo já mostrava que sua intenção de não permanecer no clube. Entretanto, Ganso teve que assinar o documento em troca da liberação para o São Paulo.

Os membros do comitê também fizeram questão de firmar a rescisão contratual na Vila Belmiro, criando mais um problema para o meia, que encontrou dificuldades para entrar no local sem ser notado, já que o estádio não tem entrada para carro.

Assim, o jogador ficou propenso a encontrar torcedores alvinegros e também livre ao acesso da imprensa. Para entrar no estádio, Ganso utilizou uma entrada alternativa para despistar os jornalistas.

Não foi a primeira imposição que o Santos fez para negociar Ganso. A primeira, no entanto, não foi bem sucedida. O clube quis impor o abatimento de uma dívida de R$ 8 milhões de verbas não repassadas das vendas de Wesley e André com a DIS para apenas R$ 2 milhões, o que não foi aceito pelo grupo de investidores. No fim, o clube abriu mão e só conseguiu fazer com que a empresa aceitasse penhorar o CT Meninos da Vila e não mais de 20% da renda oriunda de terceiros.

Depois de ter três propostas rejeitadas pelo Santos, o São Paulo conseguiu contratar Ganso ao oferecer o pagamento à vista de R$ 23,9 milhões pelos 45% dos direitos econômicos que time alvinegro tinha, mais 10% de uma futura venda. A DIS ajudará o time do Morumbi com R$ 7,5 milhões e passará a ter 68% dos direitos do jogador.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*