“Diferente”, Osorio pede futebol mais ofensivo no Brasil: “Ótimos jogadores”

Com a qualidade do futebol brasileiro questionada por torcedores e especialistas, principalmente, após os péssimos resultados na Copa do Mundo de 2014 e na Copa América desse ano, muito se debate sobre qual seriam as causas para o atual momento. Para o técnico colombiano Juan Carlos Osorio, que dirige o São Paulo, a safra dos jogadores do Brasil continua com qualidade, porém, é de responsabilidade dos treinadores jogar de maneira mais ofensiva ou defensiva. E para ele, algumas partidas das rodadas mais recentes do campeonato já revelam uma proposta de jogo diferente e mais adequada com a história do futebol pentacampeão mundial.

– Assisti três jogos na rodada: Palmeiras 3 x 2 Grêmio, Corinthians 2 x 0 Santos e Atlético-MG 4 x 1 Flamengo e concordo que foram partidas de futebol bem ofensivo. Infelizmente, o Grêmio não contou com Galhardo, que é um lateral que vai muito bem no apoio ao ataque, o zagueiro Geromel, Maicon e Giuliano que, na minha opinião, é um ótimo jogador. Acho que, sempre, o futebol brasileiro teve grandes jogadores, mas, a proposta de jogo, é dos treinadores, que são os responsáveis de escalar um time ofensivo ou defensivo. É uma decisão muito pessoal. Mas acho que, ultimamente, os jogos estão mais ofensivos – disse o treinador no Bem, Amigos!.

Juan Carlos Osorio São Paulo Bem, Amigos (Foto: David Abramvezt)Juan Carlos Osorio diz que jogos do Brasileirão estão mais ofensivos (Foto: David Abramvezt)

Também presente no programa, Casagrande concordou com Osorio sobre a responsabilidade que os treinadores têm no processo de “resgate” do futebol brasileiro ofensivo e de qualidade. Para o comentarista, a própria mentalidade e proposta de jogo “diferente” do técnico colombiano ajudaria e daria suporte aos colegas de profissão do Brasil a também preferirem uma ofensividade maior durante as partidas.

– A mudança do futebol brasileiro vai partir dos treinadores. E acho que o Osorio tem papel importante nesse processo de retorno à ofensividade dos treinadores. Não acho que ele seja melhor ou pior que os brasileiros, mas sim, diferente. Com a mentalidade diferente, como por exemplo, demonstrado no jogo Grêmio x São Paulo, que o time paulista ganhou fora de casa, com o time atacando. Ele deixou seis defendendo, o Ganso armando e três atacando, quando o “normal”, seria tirar um atacante e colocar um volante ou um defensor a mais. A proposta de jogo foi ofensiva: eu ataco para me defender e ataco para ganhar também – disse o comentarista.

O treinador do São Paulo ainda explicou que o mais importante para a decisão de propor um jogo de maneira mais ofensiva ou não também parte do conhecimento do treinador do elenco. E que, nem sempre, uma proposta sempre ofensiva pode dar um resultado positivo dentro de campo.

– Como os catalães falam, quem conhece os jogadores, entende o jogo. A proposta se mede pela quantidade de jogadores mais ofensivos ou mais defensivos que estão em campo. Às vezes dá certo e outras vezes não dá certo. Isso não significa que o treinador é burro ou está equivocado. É uma decisão. Tem gente que concorda e gente que não concorda. Mas, para mim, sem sombra de dúvidas, o jogador brasileiro tecnicamente é o melhor. E como conclusão, acho que o futebol brasileiro deve ser mais ofensivo porque tem jogadores para agir assim – concluiu Osorio.

Desde que chegou ao São Paulo, Juan Carlos Osorio dirigiu a equipe em 24 jogos. Com um aproveitamento de 49%, o técnico obteve 10 vitórias, cinco empates e nove derrotas no comando técnico do time tricolor.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*