Depois de treinos específicos para altitude, Tricolor viaja nesta segunda

A vitória de 5 a 0 sobre o Bolívar (BOL) no jogo de ida não mudou em nada o planejamento do São Paulo para o duelo desta quarta-feira, na altitude de La Paz. O Tricolor viaja nesta segunda-feira, mas a preparação já começou há algum tempo.

Os treinos físicos no CT de Cotia foram realizados tentando reproduzir, na medida do possível, alguns dos efeitos que os atletas podem vir a sentir durante a partida, que será disputada a 3.600 metros acima do nível do mar. Os preparadores físicos promoveram atividades curtas e com alta intensidade.

Na última sexta-feira, por exemplo, antes do trabalho tático, os jogadores foram divididos em três grupos. Cada um ficou sob cuidado de um preparador que exigia a participação ativa de todos os atletas. Eles se movimentavam em todos os instantes e não podiam ficar parados.

A logística são-paulina foi feita de modo a ficar o menor tempo possível em La Paz. Nesta tarde, a delegação segue para Santa Cruz de La Sierra, cidade ao nível do mar, e só irá para o local da partida na quarta-feira, horas antes do apito inicial. Depois do jogo, o elenco retornará ao Brasil rapidamente, sem dormir na cidade boliviana (veja detalhes abaixo).

Pela altitude, há menos oxigênio no ar, o que dificulta a respiração. Os sintomas costumam ser dor de cabeça, vômito e enjoo. Há atletas que precisam usar balões de oxigênio para auxiliar na respiração.

– A preocupação que a gente tem é se alguém tiver algum problema maior. Na verdade, não nos preocupa tanto quanto a isso (usar balões de oxigênio), pode ser que seja necessário, mas eu não acredito – disse o preparador físico Alexandre Lopes.

No último sábado, os titulares foram poupados do duelo com o Atlético Sorocaba, mas não tiveram folga. Pela manhã, eles treinaram e só descansaram no domingo. O capitão Rogério Ceni aprovou a decisão da comissão técnica, não apenas para evitar o desgaste dos principais atletas, mas também para dar moral a quem não estava jogando.

Confirmando a classificação, o São Paulo vai entrar no grupo 3 da Libertadores, no qual também está o The Strongest, outra equipe boliviana que manda seus jogos na altitude de La Paz.

Confira um Bate-Bola com Alexandre Lopes, preparador físico do clube:

Por que a escolha de chegar em cima da hora do jogo em La Paz?
O que acontece é que você sente menos por chegar em cima da hora para a partida. O período que sente mais são os dois primeiros dias. Você chegando em cima do jogo, o organismo não dá o tempo suficiente para sentir os efeitos da altitude.

Existe uma preocupação ou uma preparação diferenciada para cada atleta, já que cada organismo reage de uma forma diferente?
A preparação, no caso, é bem similar. O que ocorre é que alguns atletas podem sentir menos esses efeitos. Isso aí pelas características físicas de alguns deles. Já temos a previsão aproximada do que pode estar ocorrendo com um ou outro.

E depois do jogo, quais são as reações que podem ocorrer?
A logística empregada pelo São Paulo eu creio que foi a melhor possível. A gente vai retornar da partida logo em seguida, chegando aqui na quinta-feira. Para nós foi o período que a gente encontrou porque logo depois temos um jogo contra o Santos, já no domingo.

A programação para a viagem:

Sábado
Titulares foram poupados do jogo contra o Sorocaba, mas foram treinar em Cotia pela manhã.

Domingo
Folga para todos.

Segunda-feira
Time treina no CT da Barra Funda pela manhã, em atividade que não terá a presença da imprensa. Na parte da tarde, a delegação viaja para Santa Cruz de La Sierra

Terça-feira
Na parte da tarde, o elenco fará o último treinamento antes do confronto e Ney Franco vai decidir quais atletas irá escalar. Paulo Miranda disputa com Douglas a vaga na lateral direita. Santa Cruz de La Sierra, assim como La Paz, pelo fuso horário, está duas horas atrás do horário brasileiro de verão.

Quarta-feira
Logo depois do almoço, grupo pega voo de Santa Cruz de La Sierra para La Paz. Duração do trajeto é de uma hora e equipe chegará na cidade quase cinco horas antes do início da partida. Depois do jogo, o Tricolor já retorna ao Brasil, sem dormir em solo boliviano.

Quinta-feira
Avião que traz o time chega durante a madrugada. Assim que desembarcarem, jogadores serão liberados e só terão de se reapresentar no CT da Barra Funda na sexta-feira.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*