Denis fala em “final” para o SP e cobra time por fim de gol nos acréscimos

Capitão do São Paulo e sucessor de Rogério Ceni, o goleiro Denis concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira, véspera do confronto decisivo pela Copa Libertadores, contra o Trujillanos, da Venezuela. O goleiro disse que a partida representa uma final para o São Paulo, uma vez que o clube tem apenas dois pontos em três jogos no torneio e faz a pior campanha da história do clube na Libertadores.

“Um jogo muito importante, é uma final. A equipe vem de seis jogos sem perder, isso é muito importante. Estamos desenvolvendo o melhor futebol, que o torcedor gosta de ver, mas o mais importante é não perder. Isso nos dá uma confiança maior”, falou o goleiro.

O goleiro revelou que cobrou o time após a partida de domingo, contra o Oeste, em que o São Paulo venceu mais uma vez com gols nos acréscimos. O capitão pede que o time resolva as partidas antes e pare de sofrer.

“Falamos para que não seja um jogo tão sofrido como tem sido os últimos jogos. Falei isso no vestiário depois do último jogo. Com  a qualidade que tem nosso time, temos que entrar melhor e parar de sofrer um pouco. Temos que ter jogos mais tranquilos, temos qualidade para isso”, disse.

O goleiro também pediu que o elenco e principalmente os jogadores de linha cobrem mais a arbitragem, e citou a perda de tempo do Oeste no último sábado enquanto o jogo estava empatado como exemplo.

“Acho que a cobrança disso ela tem que existir, de todos os jogadores. Todo mundo tem que cobrar, tem que falar como juiz. Mas isso é do jogo, o Oeste pra eles parecia que estava bom o empate. Eu não sei qual foi a gravidade da pancada que o goleiro tomou, mas não tantas vezes como ele demonstrou no jogo. Falta um pouco mais dessa atitude de cobrar o juiz sim. Não só minha, porque fico mais longe, mas todos os jogadores são muito importantes e podem reclamar mais sim”, disse.

O goleiro também comentou o baixo número de 10 mil ingressos vendidos antecipados, marca negativa pelo histórico do São Paulo na Libertadores: “Para quem tinha 2 mil pessoas no Pacaembu, ter 10 mil pessoas no Morumbi já é uma melhora muito grande”, disse.

Denis não quis fazer declarações definitivas sobre a polêmica levantada por Paulo Henrique Ganso, que criticou a decisão do zagueiro Maicon ter cobrado – e perdido – o pênalti no último jogo, contra o Oeste. O camisa 10 afirma que estava definido que ele, e não Maicon, seria o batedor.

“Discussão no elenco vai existir a todo momento, isso é bom para o crescimento da equipe. Isso é muito importante. Indpendente de quem bata o pênalti, isso é decidido”, falou Denis.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*