Cueva e Brenner surpreendem na reapresentação do São Paulo

Sem a presença do volante Petros e do centroavante Lucas Pratto, o São Paulo se reapresentou nesta terça-feira (21) no CT da Barra Funda após o empate sem gols com o Botafogo, no último fim de semana. O técnico Dorival Júnior comandou um treino em campo reduzido e não sinalizou quais devem ser os titulares para o jogo contra o Coritiba, no domingo. O destaque ficou por conta do entrosamento até então desconhecido entre o peruano Cueva e o garoto Brenner.

Ainda sentindo dores na coxa direita, o atacante tricolor não apareceu em campo. Embora não tenha sido diagnosticado com qualquer tipo de lesão, o hermano trabalhou no Reffis e segue sendo uma incógnita. Por sua vez, Petros não deu as caras no treino do Tricolor pois está na Bahia resolvendo questões pessoais.

O treino

Contando com titulares e reservas em campo, o comandante são-paulino dividiu o elenco em duas equipes e fez um treino de dois toques em campo reduzido. A comissão técnica não sinalizou quais devem ser os titulares, já que os times foram mesclados e até mesmo os garotos da base, quase nunca utilizados nos jogos do Tricolor, participaram das atividades.

Escalados na mesma equipe, Cueva e Brenner foram os responsáveis por descontraírem o clima. Sob intensa chuva, a dupla levou competitividade ao trabalho e abusou dos carrinhos e jogadas de efeito para vencerem o time rival na atividade. No fim do trabalho teve até comemoração de ambos, que, além dos gritos e da correria, ainda tiraram um sarro dos derrotados.

Outra novidade que pôde ser percebida no treinamento foi o retorno do lateral Bruno aos treinos com bola. O jogador tratava de uma cervicalgia (dores nas costas) e foi liberado para trabalhar com seus companheiros. Contudo, a participação do defensor foi curta. Após aproximadamente dez minutos em campo, Bruno deixou a atividade e fez um trabalho separado dos demais.

Um comentário em “Cueva e Brenner surpreendem na reapresentação do São Paulo

  1. O Prato está “miguelando” a tal dor na coxa; na realidade ele está tentando “tapar o sol com uma peneira furada” quando à sua incapacidade de fazer gols! Embora tenha sempre mostrado “vontade” (ganhando 500 tinhos/mês todo mundo teria) ele, na maioria das vezes, acabou atrapalhando o ataque tricolor.
    Ponto pra quem pagou aquela pechincha pelo atleta.
    E também para aqueles que vivem gritando por contratações mirabolantes desse tipo (houve alguns que me ironizaram quando postei comentário contra o absurdo da compra)…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*