Com seca de gols, SP é o time que mais gastou com atacantes para o ano

Após nove rodadas de Campeonato Brasileiro, o São Paulo balançou as redes apenas oito vezes. O desempenho está empatado em 14º entre os 20 times do torneio nacional, enquanto a defesa tem números melhores: cinco gols sofridos, empatada a segunda melhor marca da competição.

Apesar dos poucos gols, o Tricolor abriu os cofres para reforçar o ataque para esta temporada. O clube do Morumbi gastou aproximadamente R$ 52 milhões com a contratação dos atacantes, a maior marca entre os clubes brasileiros.

(Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

O número total engloba os seis milhões de euros (cerca de R$ 25,35 milhões) gastos com a contratação de Pablo, montante que foi parcelado em três anos, além de mais R$ 11 milhões referente a multa que Pato pagou para ser liberado do Tianjin Tianhai da China, valor que foi diluído em seus três anos de contrato.

O São Paulo também pagou cerca de R$ 3 milhões ao Sportpela compra em definitivo do meia-atacante Everton Felipe em fevereiro e, mais recentemente, três milhões de euros (cerca de R$ 12,68 milhões) pela contratação de Raniel junto ao Cruzeiro, valor que será pago a partir de 2020.

Mesmo com o investimento, o Tricolor só anotou 28 gols nos 33 jogos disputados em 2019. Atrapalhado por lesão, Pablo anotou quatro gols em 15 partidas e segue sendo o artilheiro da equipe no ano. Já Pato soma três tentos em dez jogos, enquanto Everton Felipe ainda balançou as redes com a camisa são-paulina. Recém-contratado, Raniel ainda não estreou.

Para equilibrar as contas, o clube do Morumbi aprovou em reunião do conselho na última semana, empréstimos com diferentes bancos para equilibrar o fluxo de caixa. A administração de Leco atrasou pagamentos de direito de imagem dos atletas e ainda corre para quitar todos os vencimentos.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

2 comentários em “Com seca de gols, SP é o time que mais gastou com atacantes para o ano

  1. A meu ver, o problema não é falta de atacantes: o problema é o resto do time que joga muito longe do ataque o que deixa os atacantes isolados e fáceis de terem a bola roubada, o que faz com que a defesa permaneça postada ao invés de fazer parte da pressão pra frente da linha do meio campo. Assim é um tal de bate e volta, já que os defensores, normalmente, se livram do perigo em chutões sem objetividade.
    Entre a defesa e o ataque, o S.Paulo vem carecendo de um grande armador e um segundo volante que tenha bons passes e sejam criativos. Também precisa de uma tática voltada para ultrapassagem dos laterais pelas beiradas do campo para que os cruzamentos, quanto efetivados, pegue a defesa de costas e os atacantes de frente para o gol.
    Se o Cuca treinou bem tudo isto; treinou jogadas bem ensaiadas para bolas paradas e agrupar as 3 linhas em não mais do que 20 metros no campo, teremos, aí, a fórmula mágica para que os atacantes voltem a ser protagonistas dos jogos.
    Podem pagar pra ver!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.