Com futuro incerto, Lugano vira última opção da defesa do São Paulo

Perto do final de contrato com o São Paulo, Diego Lugano tem futuro incerto. Na última quinta-feira, o técnico Rogério Ceni, após o triunfo de 2 a 0 sobre o Vitória, se mostrou publicamente pela primeira vez favorável a renovação do vínculo do uruguaio. Mas, na prática, o que se vê é que o uruguaio se tornou a última opção na zaga do Tricolor. Nas últimas quatro partidas, o treinador escalou formações com três zagueiros, revezando peças, mas somente o camisa 5 não foi usado.

Na vitória sobre o Palmeiras, foram escalados Lucão, Maicon e Rodrigo Caio, trio que se repetiu na derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta. Diante do Vitória, Rodrigo Caio foi desfalque por causa da convocação para a seleção brasileira. Entrou Éder Militão.

No clássico contra o Corinthians, ainda sem Rodrigo Caio, o garoto da base foi adiantado para o meio-campo para atuar como volante. Nem assim Lugano foi escalado. Quem entrou no time foi Douglas, que não atuava desde a partida contra o São Bernardo, no dia 29 de março. Quatro zagueiros estavam em campo no Majestoso, enquanto Lugano seguia no banco. E os três beques escalados atrás (Maicon, Lucão e Douglas) cometeram falhas que originaram gols do adversário.

Lugano ainda não foi procurado pela diretoria para renovar contrato (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)Lugano ainda não foi procurado pela diretoria para renovar contrato (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Lugano ainda não foi procurado pela diretoria para renovar contrato (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Maicon armou o contra-ataque ao errar passe no meio-campo no seguindo gol do Timão. Lucão, no primeiro gol, não percebeu o deslocamento de Romero nas suas costas (Marcinho também não acompanhou a movimentação do paraguaio). No segundo, o zagueiro errou quando teve a oportunidade de afastar o rebote do chute de Jô, após defesa de Renan Ribeiro. Ela sobrou para Gabriel, que marcou. No terceiro, Douglas cometeu pênalti no próprio Jô.

O último jogo de Lugano foi no dia 22 de abril, na vitória de 2 a 0 sobre o Avaí. Ele entrou na vaga de Maicon, que havia sido poupado para fazer um trabalho de recondicionamento físico. O uruguaio segue participando normalmente de todos os treinos e é relacionado para todos os jogos. Mas não é utilizado. Após o Avaí, Lugano deixou claro que é difícil ter um bom rendimento sem uma sequência de jogos. Mas ele segue priorizando o grupo e nunca questionou publicamente as decisões tomadas pela comissão técnica.

A 18 dias do final do vínculo do uruguaio, o caso está longe do desfecho. A diretoria está dividida e, até agora, não procurou o atleta para fazer uma proposta. Nem mesmo para propor uma redução salarial, pois há dirigentes que questionam o custo versus benefício de se manter um atleta que participou de oito das 32 partidas disputadas no ano.

Pessoas próximas ao jogador relatam incômodo do atleta pela forma como o caso está sendo conduzido, independentemente da decisão final. E que mesmo que haja um movimento da diretoria para tentar a renovação, agora não há certeza sobre qual será a decisão do jogador, diante da demora.

Ceni defendeu a permanência do jogador, o que deixou a diretoria surpresa. Na versão dos dirigentes, internamente o treinador apoia a renovação, mas não se opõe em caso de uma saída. Isso pode gerar uma nova conversa sobre o assunto entre diretoria, presidência e comissão técnica nos próximos dias.

– Acho um jogador importantíssimo para nós como liderança. Você vai me dizer: “Ah, mas então por que ele não vem jogando como titular?” Isso é uma opção. Nos jogos em que atuou, foi capitão. Acharia importante ele poder encerrar sua carreira no final do ano. Acho que, independentemente dos números de jogos que ele faça até o final do ano, o clube sempre tem muito a ganhar com sua imagem, sua presença e também em alguns jogos com sua atuação dentro de campo – disse Ceni,

– Seria uma coisa justa com o atleta poder ter um jogo festivo para ele em dezembro. É um atleta merecedor disso. É um dos últimos campeões mundiais que nós temos em atividade, provavelmente o último que jogue pelo São Paulo. O último que jogue até que apareça uma geração que ganhe esse título – acrescentou.

Torcida segue campanha nas redes sociais

O torcedor são-paulino segue fazendo campanha pela renovação de contrato do jogador. Durante o clássico contra o Corinthians, a cada gol sofrido, com falha de um zagueiro tricolor, era defendida a permanência do uruguaio e até citada a falta de respeito no tratamento com um dos maiores ídolos do clube atualmente.

Fonte: Globo Esporte

3 comentários em “Com futuro incerto, Lugano vira última opção da defesa do São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*