Cinco provas da mudança de perfil de Paulo Henrique Ganso no São Paulo

Assim que assumiu o comando do São Paulo e conheceu os jogadores, o técnico Edgardo Bauza chamou Paulo Henrique Ganso para conversar e propôs um pacto: fazer o meia voltar à Seleção Brasileira. Em quatro meses de trabalho, o Maestro soma seis gols e quatro assistências, mas é por outra característica que ele tem encantado dirigentes e jogadores no Tricolor. A nova versão do camisa 10 tem pitadas de liderança. Veja os exemplos:

NO ÔNIBUS
Na chegada ao Morumbi na última quarta-feira, Ganso pediu ao motorista que reduzisse a velocidade do ônibus na Praça Roberto Gomes Pedrosa. A ideia do meia era fazer com que os companheiros sentissem a recepção dos torcedores antes da partida contra o River Plate (ARG).

NA BRIGA
O Maestro teve papel importante para o São Paulo na briga que aconteceu no segundo tempo do jogo válido pela Copa Libertadores da América. Foi ele quem tirou os colegas mais exaltados da confusão, intimidou Vangioni e pressionou o árbitro pela expulsão do lateral-esquerdo argentino.

NO VESTIÁRIO
Após a vitória sobre o River por 2 a 1, Ganso, Jonathan Calleri e Diego Lugano ficaram por quase meia hora sozinhos no vestiário discutindo sobre o time enquanto faziam gelo e relaxamento muscular. Os três foram os últimos a sair do estádio devido ao longo papo sobre as pretensões do Tricolor no ano.

NA CONVERSA
Ganso se preocupa em elogiar e dar sugestões a Lucas Fernandes, seu fã declarado, a todo instante em treinos e jogos. Na última sexta-feira, por exemplo, formou dupla com o garoto em trabalho de finalizações, deu dicas de como finalizar e aplaudiu muito nos gols do companheiro.

NO TREINO
Mesmo podendo descansar após liberação da comissão técnica, o meia tem pedido para treinar com os reservas frequentemente. Ganso sabe que precisa estar sempre em alta rotação para acompanhar o ritmo dos jogos e ainda ajuda a manter o bom ambiente no CT da Barra Funda.

Fonte: Lance

6 comentários em “Cinco provas da mudança de perfil de Paulo Henrique Ganso no São Paulo

  1. Desde que chegou, sempre torci muito pelo ganso, já estava sem esperanças de vê-lo atingir todo seu potencial, quem sabe depois de 4 anos não tenha finalmente chegado a sua vez? Antes tarde do que nunca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*